Ensino

Uma porta para realizar o sonho de viver experiências no exterior

01/09/2021

09:05

Por: Caroline Simor

Fotos: Arquivo pessoal

Seja por meio de convênios próprios ou no desenvolvimento de uma cultura dentro da sala de aula, a UPF busca formar o acadêmico para o mundo

As fronteiras para o conhecimento ficaram mais acessíveis ao longo dos anos e realizar um intercâmbio, bem como planejar uma mudança de vida focada em morar no exterior são ações possíveis para muitos estudantes, atualmente. Seja por meio de programas próprios, convênios ou parcerias, ou até mesmo pela formação em sala de aula, a Universidade de Passo Fundo (UPF) tem buscado qualificar o estudante para que possa ser um acadêmico do mundo.

Egresso do curso de Serviço Social, Anderson Cavalheiro da Luz hoje mora na Suíça. Ele lembra que a ideia de morar fora sempre esteve em seu pensamento, já que acreditava que, via intercâmbio ou profissionalmente, isso poderia ajudar a abrir os horizontes e compreender melhor as relações humanas e políticas. Em uma oportunidade que uniu organização financeira e pessoal, Anderson trocou o Brasil pela Suíça.

Caminho de dedicação

O primeiro impedimento nesse processo foi a língua. Anderson já sabia que para iniciar o reconhecimento de diploma era necessário obter o nível B2 de línguas do quadro europeu, então, ele passou dez meses estudando francês de forma intensiva. Foram 20 horas por semana e em maio de 2019 ele foi aprovado no exame junto ao governo francês.

Segundo o egresso, a partir de então iniciou-se um processo longo e moroso. “Na Suíça você não faz a revalidação em uma universidade, como no Brasil. Aqui, todos os documentos devem ir para um órgão do governo federal. Esse órgão avalia e decide se você tem condições de fazer o exame de revalidação, e se os seus documentos são comparados aos documentos suíços”, explica.

Depois de diploma e histórico, além de comprovante de todos os vínculos de trabalho na área do Serviço Social, todos traduzidos oficialmente, Anderson também precisou avaliar o curso, equiparar as ementas e verificar se elas estavam de acordo com as normas suíças. “Diante a aprovação da equiparação entre os cursos da Suíça e do Brasil, então, fui encaminhado para fazer dois exames. O primeiro poderia ser um exame em francês na área do Trabalho Social ou um estágio de seis meses. O segundo, era um exame na área de Serviço Social (aqui é uma área do Trabalho Social). Devido à pandemia, o processo atrasou ainda mais, então, o primeiro exame ocorreu normalmente em fevereiro de 2020, contudo, o segundo só veio a ocorrer em março de 2021”, comenta.

Fica a dica

Com as duas aprovações, os documentos da Universidade foram encaminhados ao governo suíço para a concessão da revalidação do título. “Para me ajudar, a UPF foi sempre muito solicita com os documentos. O processo foi ágil e rápido, principalmente na hora de fazer a demanda pela internet. Para quem deseja viver essa experiência, eu diria para chegar no país de destino com todos os documentos possíveis em mãos. O processo de reenviar todos os documentos para o Brasil para serem apostilados internacionalmente, receber de volta e começar a tradução, me fizeram perder mais de três meses, e isso poderia ter me custado o tempo de fazer o segundo exame, quando ele ainda estava disponível”, observa Anderson, destacando que, além disso, é fundamental entender bem a dinâmica e os sistemas do país.

Anderson reforça a importância do conhecimento em línguas. Ele conta que, ao chegar, esse foi o grande desafio. Por isso, ele pontua algumas dicas que, em sua opinião, ajudarão a tornar o processo menos burocrático e assustador:

- Invista seriamente em línguas, mas invista oficialmente, com exames que são reconhecidos internacionalmente

- Guarde o máximo possível de documentos e tenha todo os tipos de provas necessárias, desde o estágio até de um contrato de curta duração em um emprego, tudo conta para confirmar que você tem vínculo com a profissão e exerceu ela;

- Prepare o seu bolso, o reconhecimento dos meus títulos saiu mais caro que três anos de curso integral nas universidades onde o curso é dado (período do curso na Suíça). Aqui a graduação é tabelada em 550 francos por semestre. Para realizar somente os exames oficiais e a avaliação do governo foram cerca de 4500 francos;

- E o principal, tenha uma base sólida de apoio e de relações. Independente da revalidação, tudo no exterior tem um peso maior, principalmente os momentos negativos, por isso é importante se cercar de uma rede onde você possa encontrar algum tipo de apoio, porque o processo é lento, moroso, burocrático, mas é preciso continuar.

Conheça as oportunidades oferecidas pela UPF

A Assessoria Internacional (AI) é o setor responsável pela expansão, pela consolidação e pela promoção da internacionalização na Universidade. Dentro das ações, também está o assessoramento dos acadêmicos e professores que realizarão intercâmbio ou atividades acadêmicas no exterior, com as questões de candidaturas, documentação e informações práticas de viagem. Acesse os convênios e parcerias oferecidas clicando aqui.

Busque informações, orientações e encaminhamentos pelo e-mail aai@upf.br, pelo telefone (54) 3316-8117 ou ainda na sede da Assessoria Internacional, localizada no Centro de Convivência, Campus I da UPF.