Notícias UPF

UPF tem encerramento do curso sobre análise de fadiga de estruturas

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Alessandra Pasinato

Curso de 40h foi promovido pelo PPGPPF e ministrado pelo professor Avelino Alves Filho

Grande parte das falhas que acontecem nas estruturas mecânicas se dão porque há fadiga. Esse foi o tema abordado em um curso realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Projeto e Processos de Fabricação da Universidade de Passo Fundo (PPGPPF/UPF), em parceria com o Núcleo de Cálculos Especiais (NCE). A formação, com duração de 40 horas, teve como tema “Análise de fadiga de estruturas”, contemplando um dos cinco módulos do curso de Método dos Elementos Finitos (MEF). O curso, que teve seu encerramento nessa quarta-feira, dia 27 de fevereiro, foi ministrado pelo professor Dr. Avelino Alves Filho, nas dependências da Faculdade de Engenharia e Arquitetura (Fear), Campus I da UPF.

O módulo de fadiga busca prever o comportamento das peças mecânicas. Conforme o coordenador do PPGPPF, professor Dr. Márcio Walber, 95% dos componentes mecânicos vão falhar por fadiga. “Eles vão trabalhar de forma cíclica alternada e esses carregamentos cíclicos vão levar o componente à falha. O curso mostra como fazer uma previsão por meio dessa análise de fadiga, utilizando software de elementos finitos, entendendo o comportamento do componente antes de fazer um projeto”, explica ele, citando que o desenvolvimento do produto tem maior confiabilidade.

A vida dos produtos

Para o professor Avelino, no geral, as pessoas acham que é impossível determinar ou prever a vida dos produtos. “É possível prever a vida que um produto vai ter e depois de quantos ciclos de atuação de uma determinada carga vai romper. No curso, realizamos um estudo de como um produto sujeito a uma determinada solicitação, que é repetitiva, tem sua vida interrompida depois de determinado número de ciclos. Isso é previsível”, explica ele.

Os cinco módulos, além da análise de fadiga, realizam formações em análise estática, análise dinâmica, análise não linear e operação de software. Os quatro primeiros modelos são conceituais e o quinto consolida como utilizar o software. Segundo Walber, a parceria entre o PPGPPF/UPF e o NCE está consolidando a UPF como um centro de referência nacional de treinamento do método de elementos finitos, sendo reconhecida no Brasil. “Somos um centro de ensino que se soma aos 40 anos de experiência no mercado do professor Avelino, que tem aulas ímpares e que deixam todos maravilhados”, constata o coordenador do PPGPPF/UPF.

Ampliando o conhecimento

O engenheiro mecânico Luan Gregori Tochetto, egresso da UPF, foi um dos participantes do curso. “Fiz o curso porque estava trabalhando de forma específica com análise e também por ser um embasamento totalmente teórico e bem consistente. Busquei a formação para tirar muitas dúvidas que tinha e ampliar novos horizontes”, define o jovem, que é mestre em engenharia de petróleo e já atuou na fabricação de estruturas offshore e, hoje, trabalha na indústria petrolífera, na região metropolitana do estado, em uma empresa que desenvolve componentes e faz análise de fadiga.

Acadêmico do 9º semestre de Engenharia Mecânica da UPF, Willian Marcon Pertuzzatti também foi um dos participantes da formação. “É uma área que eu gosto e busquei aprofundar conhecimento”, conta ele, que já fez outros três módulos. “O professor tem uma didática prática. Consegui adquirir muito conhecimento a partir dos quatro módulos que já participei e essa é uma forma de complementar experiências para a vida profissional, um diferencial para o mercado de trabalho”, aponta.

Integrando a turma de participantes da formação esteve ainda o professor do PPGPPF e dos cursos de Engenharia Civil e Arquitetura da UPF, Dr. Fernando Busato Ramires. Segundo ele, o tema abordado no curso é da área da mecânica, mas também tem relação com a área civil. “Percebemos a experiência de projetos que o professor Avelino tem e que nos traz de forma muito didática. Busquei ampliação de conhecimentos e já vou poder incluir as análises em trabalhos do mestrado”, comenta ele.

Certificação

Ao final da formação, todos os participantes receberam certificados por sua participação no curso. Uma menção honrosa foi entregue aos participantes Anderson Baldissera e Régis Fernando Petry, pela conclusão dos cinco módulos. Com isso, os dois receberam a certificação em teoria e prática na utilização dos métodos dos elementos finitos.

Conforme Baldissera, ele fez os cursos para adquirir mais conhecimento na área de elementos finitos. “Trabalho com engenharia mecânica, diretamente com estruturas metálicas e desenvolvimento de projeto de máquinas agrícolas e na área acadêmica na disciplina de projeto de máquinas e processos de fabricação”, explica ele, que buscou se aprofundar no assunto e buscar conhecimentos. “Os cursos são uma base teórica para poder trabalhar com software que faz essa análise de elementos finitos com ferramentas para ter agilidade e confiabilidade no trabalho”, cita o engenheiro, que trabalha há 14 anos na área de mecânica, já esteve no chamado “chão de fábrica”, atuou na gestão e na fabricação e, atualmente, é proprietário de uma empresa que presta serviços para empresas de pequeno porte do ramo de metalmecânica.

Sobre o ministrante

O professor Dr. Avelino Alves Filho é autor da Coleção Elementos Finitos - A Base da Tecnologia CAE – que tem 3 volumes: Linear, Dinâmica e Não Linear – e de 14 livros de ciências físicas. Com mais de 40 anos de experiência profissional na área de Computer Aided Engineering (CAE), passando por todas as etapas do CAE, ele já treinou engenheiros de empresas como Embraer, Petrobrás, Maxion, Volkswagen, Ford, MWM Motores, Iveco, Fiat, Eleb, Metrô de São Paulo, Grupo Randon, CNH, Comil, Stara, Jan, Villares, Elevadores Atlas Schindler, entre outras. Desde 2015, ele tem ministrado cursos na UPF.