Educação, escola e sala de aula na perspectiva da práxis dialógica benincaniana

Inscrições até 10/03 - Realização 02/03 a 20/04

A leitura e meditação cuidadosa dos clássicos é indispensável não só para a formação humana em geral, mas, inclusive, para a autoformação pessoal. Quem se dispõe ao desafio de enfrentar os clássicos, transforma-se tendencialmente para melhor. O trabalho cuidadoso com os clássicos também é importante para a formação profissional. No caso específico da formação docente, o professor que tem a possibilidade de ter acesso aos clássicos e se dispõe a estuda-los, certamente prepara-se melhor intelectual e afetivamente para enfrentar os grandes desafios educacionais e à própria dureza do trabalho pedagógico cotidiano em sala de aula.

Por isso, é dever da docência universitária oportunizar o estudo investigativo dos clássicos. Isso se faz ainda mais necessário pela dispersão e superficialidade que caracteriza, em boa parte, o cenário cultural contemporâneo, que também atinge em cheio, obviamente, o campo educacional. Nosso tempo presente é caracterizado pela brutalização da estultícia humana, provocando crescentes processos de deformação cultural e educacional.

Nessa edição dos "Clássicos e a formação humana" vamos focar em um clássico regional, chamado Elli Benincá, que influenciou e continua a influenciar significativamente a educação brasileira, especialmente aquela desenvolvida na Região Norte do Rio Grande do Sul. Com sua longa experiência formativa, tanto prática como teórica, Benincá contribui na formação de muitas gerações de estudantes e agentes sociais e pastorais que atuam vivamente nas instituições formais de ensino, principalmente nas escolas públicas e privadas. A singularidade da práxis formativa benincaniana que atraiu para si a companhia de inúmeros professores e alunos repousa na ênfase dada ao trabalho de grupo baseado no diálogo como princípio formativo-educativo.

De outra parte, Benincá certamente não criou suas ideias educativas do nada. Elas são resultado de um duplo movimento, profundamente imbricado entre si, do estudo minucioso e contínuo da clássica tradição ocidental, cultural e educativa, e da inserção concreta e cotidiana no mundo cultural de seu tempo, dialogando com sua conflituosa diversidade educacional. Neste contexto, a práxis dialógica benincaniana é herdeira de grandes projetos educacionais gestados vagarosamente pela Paideia grega, pela Humanitas latina e pela Bildung alemã, ao mesmo tempo em que procura atualizá-los de acordo com as questões educacionais de sua época.

Neste contexto temático, o seminário/curso deixa-se mover, entre outras, pelas seguintes questões: Em que consiste a práxis dialógica benincaniana? Que heranças ela preserva da tradição clássica e que transformações sugere? Como pensa a escola e a prática pedagógica de sala de aula? Que referências de uma educação crítica resultam de sua práxis dialógica?

Que ideal de condição humana e sociedade ela sustenta?

• Investigar traços da biografia de Elli Benincá com foco em sua experiência formativa.
• Interpretar criticamente sua noção de educação, escola e sala de aula.
• Investigar os traços principais de sua noção de práxis dialógica, buscando confronta-la com traços da tradição pedagógica clássica.
• Problematizar possibilidade de atualização de sua noção de práxis dialógica no confronto crítico com práticas docentes do presente, ouvindo depoimentos de professores que se encontram em experiências de gestão e em práticas pedagógicas de sala de aula.

Angelo V. Cenci
Eldon H. Mühl
Daniela De David Araujo
Marcelo J. Doro
Miguel da Silva Rossetto

 

Coordenação
Claudio Almir Dalbosco - vcdalbosco@hotmail.com

 

Período de realização do curso
De 02/03/2022 a 20/04/2022 (quarta-feira das 19h20min às 21h20min)
Carga horária: 40h
Modalidade: On-line

 

Cronograma e conteúdo temático
 
02/03/2022 – (19h20min – 21h20min)
Lançamento do livro sobre Elli Benincá (Prof. Dr. Eldon H. Mühl e Prof. Dr. Telmo Marcon) 
Mesa: Herança intelectual-pedagógica da práxis benincaniana
Coordenador: Claudio A. Dalbosco
Expositores: Raimundo Rajobac e Rodinei Balbinot
 
09/03/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: Diagnóstico do tempo presente: o neoliberalismo atual 
Coordenador: Marcelo Doro
Expositores: Angelo Cenci e Margarita Sgró
Debatedor: Prof. Neuro J. Zambam
 
16/03/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: A escola neoliberal e possibilidades de resistência 
Coordenador: Angelo Cenci
Expositores: Cláudio A. Dalbosco e Francisco Santos
Debatedor: Renata Maraschin
 
23/03/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: O universo escolar na perspectiva dos professores: depoimentos 
Coordenador: Cláudio A. Dalbosco
Expositores: Márcio Marangon, Gislene Garcia, Luciana Rizzi, Alcemira Fávero
Debatedor: Norberto Mazai
 
30/03/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: Práxis dialógico-formativa benincaniana: senso comum, relação teoria-prática e cotidiano docente (Benincá/Mühl, 2010, p. 19-34; 162-179 
Coordenador: Marcelo Doro
Expositores: Telmo Marcon e Elisa Mainardi
Debatedor: Regeano Bregalda
 
06/04/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: Práxis dialógico-formativa benincaniana: ciência pedagógica, método e proposta pedagógica (Benincá/Mühl, 2010, p. 35-53; 54-76) 
Coordenação: Claudio A. Dalbosco
Expositores: Lucídio Bianchetti, Selina Dal Moro e Solange Longhi
Debatedoras: Adriana Bragagnolo e Nara Peruzzo
 
13/04/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: Práxis dialógico-formativa benincaniana: prática pedagógica em sala de aula, o diálogo como princípio pedagógico e processos pedagógicos para uma educação libertadora (Benincá/Mühl, 2010, p.92-105)
Coordenador: Claudio A. Dalbosco
Expositores: Ângela Scartezini, Daniela de David Araujo, Gislene Garcia e Marcelo Doro
Debatedor: Eldon H. Mühl
 
 
20/04/2022 - (19h20min – 21h20min)
Tema: Práxis dialógico-formativa benincaniana: a memória como elemento formativo (Benincá/Mühl, 2010, p.125-161) 
Coordenador: Claudio A. Dalbosco
Expositores: Altair A. Fávero e Eldon H. Mühl
Debatedor: Angelo Cenci 
 
27/04/22 - (19h20min – 21h20min)
Tema: A prática eclesial e social benincaniana
Coordenadores: Pe. Rogério L. Zanini e Pe. Ivanir A. Rodighero
Expositores: Itepa Faculdades
Debatedores: Itepa Faculdades