Pesquisa e Inovação

UPF lidera programas de inovação em saúde pública e agronegócio

09/11/2021

08:31

Por: Carol Simor - Assessoria de Imprensa

Fotos: Leonardo Andreoli

Programas integram o projeto Inova RS lançado pela Secretaria Estadual de Ciência, Inovação e Tecnologia

Desafios para os novos tempos, a saúde pública e o agronegócio são focos das ações da Universidade de Passo Fundo (UPF), envolvendo as mais diversas áreas do conhecimento. Somando esforços com agentes públicos e privados da região, a Instituição, por meio do UPF Parque, é uma das líderes de dois importantes programas aprovados no Projeto Inova RS, da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia. Lançados recentemente, os programas terão como foco a inovação e o empreendedorismo e contam com diversas parcerias. 

Saúde: Inovação em Saúde Pública

Aproximadamente 75% da população brasileira depende exclusivamente do Sistema de Saúde Público no país. Essa realidade, somada à complexidade territorial para o acesso aos serviços, demanda dos agentes públicos e privados ações para promover não apenas a melhoria dos processos, mas também novos modelos, sistemas, ferramentas e mecanismos. Por esse motivo, entendidas públicas e privadas, instituições e sociedade têm buscado formas de melhorar os serviços, ampliar o acesso e unir experiências para levar a tecnologia cada vez mais para dentro da saúde.

Responsável pelo UPF Parque e pelo projeto Inovação em Saúde Pública, a Dra. Teofanes Girardi Foresti, destaca que o objetivo central da ação, que envolve diversas frentes, é fomentar a criação de soluções inovadoras e o desenvolvimento de tecnologias e empreendimentos voltados à saúde pública. 

Para isso, a equipe irá trabalhar para reunir pessoas com diferentes competências para a criação e compartilhamento de ideias e soluções inovadoras para melhoria da saúde pública por meio de metodologias ativas, além de fomentar iniciativas de inovação em saúde para a Região Produção e Norte. “A ideia é incentivar a produção de produtos e serviços escaláveis para os sistemas de saúde, com vistas a auxiliar no tratamento, diagnóstico, educação, divulgação, prevenção, qualidade da pesquisa e acesso à saúde”, salientou.

Um dos parceiros do projeto é o Hospital de Cristo Redentor, de Marau. Marcelo Borghetti, atual Diretor Administrativo da casa de saúde destaca que integrar a equipe é uma oportunidade não apenas para a comunidade de Marau, mas de toda a região. Para ele, ao fazer parte desse projeto, será possível aliar potencialidades dentro de um ecossistema criado para desenvolver tecnologias, novos serviços e novos métodos de atendimento, além de provocar um olhar mais atento para a inovação como um todo. “Fazendo parte deste programa, vamos ter a oportunidade de trocar experiências, de ter acesso às informações e novas tecnologias e isso trará benefícios para o Hospital e para toda a comunidade. Desejamos que, de forma objetiva, possamos alcançar as metas e trazer, para toda a região, os benefícios dos resultados e de novas propostas que serão desenvolvidas durante a execução desse projeto”, ponderou.

Projeto Agrotech Norte

A região da Produção e Norte conta com um contexto social único e uma matriz econômica diversificada, com destaque, especialmente, para o segmento do agronegócio. Além da importância econômica, a agricultura também cumpre um relevante papel cultural e social em boa parte dos municípios gaúchos, principalmente nos que são a base da agricultura familiar. 

Coordenador do projeto Agrotech Norte, o professor Dr. Alexandre Zanatta, destaca que o desenvolvimento de agroindústrias e a ampliação de pesquisas no ramo agrícola são considerados, hoje, como as principais oportunidades para a região. Ele pondera que, além destas demandas, outras ações importantes para o desenvolvimento são o estímulo ao empreendedorismo, ao associativismo e à melhoria da infraestrutura rural, especialmente da qualidade da energia ofertada e do acesso à telefonia e à internet. “Esse projeto buscará contribuir significativamente para que se possa mudar a realidade das regiões Produção e Norte, tornando-a referência em tecnologias para as cadeias produtivas das pequenas propriedades rurais”, comenta.

Para isso, o Agrotec Norte pretende construir uma rede contínua de colaboração entre os atores do ecossistema local; gerar inovações tecnológicas a partir das necessidades específicas das pequenas propriedades no que tange aos sistemas de gestão e qualidade; além de melhorar os sistemas produtivos e de processamento de produtos. Para tanto, pretende fomentar o desenvolvimento de máquinas, implementos e equipamentos específicos à realidade das pequenas propriedades; incentivar a diversificação produtiva e o agroempreendedorismo sustentável, promovendo o aproveitamento de resíduos para geração de energia limpa, além do aproveitamento da vocação produtiva de cada propriedade. 

De acordo com Zanatta, até 2030, o Agrotec Norte pretende criar um movimento para o desenvolvimento e difusão de inovação voltadas às pequenas propriedades rurais, por meio de uma estratégia de especialização inteligente, tornando-a referência latino-americana em tecnologias para suas cadeias produtivas. 

Soma de esforços para melhorar a vida de toda a região

Os projetos contam com a parceria de empresas, entidades, instituições e setores públicos e privados. Atuam nas iniciativas gestores de inovação e tecnologia das regiões Produção e Norte. De acordo com eles, os projetos AgroTec Norte e Inovação na Saúde Pública vão ao encontro da visão de futuro das regiões Produção e Norte que é ser referência latino-americana de inovação por meio de uma estratégia de especialização inteligente em tecnologias associadas ao agronegócio e à saúde. 

Eles observam que a estruturação dos projetos e o planejamento já vêm sendo trabalhados desde o ano passado e contam com a colaboração de professores, instituições parceiras e lideranças regionais. Para os gestores, com a aprovação dos projetos no edital, será possível colocar em prática tudo que foi planejado para agregar na região.

INSCREVA-SE