Notícias UPF

Pesquisa sobre coronavírus no RS chega à última etapa neste fim de semana

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Daniela Xu/UFPel

Em Passo Fundo, o estudo é conduzido pelos pesquisadores da UPF, Uffs e Imed

No próximo final de semana, entre os dias 23 e 25 de maio, está prevista a realização da quarta e última etapa da pesquisa que visa estimar o percentual de gaúchos infectados pela Covid-19; avaliar a velocidade de expansão da infecção; fornecer indicadores precisos para cálculos da letalidade e determinar o percentual de infecções assintomáticas ou subclínicas. O estudo, que é liderado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), pretende  testar e entrevistar 4,5 mil pessoas, em nove cidades das regiões demográficas do estado, segundo classificação do IBGE: Pelotas, Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Maria, Ijuí e Santa Cruz do Sul e Uruguaiana. Em Passo Fundo, o trabalho vem envolvendo pesquisadores da Universidade de Passo Fundo (UPF), Imed e Universidade Federal da Fronteira Sul (Uffs).

O professor da UPF, Dr. Kauê Collares, é um dos responsáveis pelo recrutamento de pesquisadores voluntários para o desenvolvimento do estudo, juntamente com os professores Dr. Jeovany Martínez-Mesa (Imed), Dra. Shana Ginar da Silva (Uffs). De acordo com ele é fundamental a participação da população para a efetivação da pesquisa “As pessoas serão convidadas a participar da pesquisa em suas próprias residências. Por isso, contamos novamente com a colaboração e o engajamento da população para que aceitem integrar esse estudo que será fundamental para traçar estratégias no combate a Covid-19”, aponta. Todos os entrevistadores – profissionais voluntários da área de saúde – têm identificação do estudo e vestem equipamentos de proteção individual – máscaras, óculos, luvas e jalecos. Durante a visita, os entrevistadores aplicam um breve questionário e coletam uma amostra de sangue (uma gota) da ponta do dedo do participante, que será analisada pelo aparelho de teste em aproximadamente 15 minutos. O teste rápido detecta a presença de anticorpos, que são defesas produzidas pelo organismo somente depois de sete a dez dias da data de contágio pelo vírus. Dentro desse período, o resultado pode apontar negativo, mesmo que a pessoa tenha contraído o coronavírus. Em caso de resultado positivo, os participantes recebem um informativo com orientações e, em seguida, são contatados para acompanhamento e suporte da secretaria de saúde local.

O estudo coordenado pela UFPel mobiliza uma rede de doze instituições de ensino superior pública e privadas: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA); Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos); Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc); Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ); Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Universidade Federal do Pampa (Unipampa/Uruguaiana); Universidade de Caxias do Sul (UCS); Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS/Passo Fundo); Universidade de Passo Fundo (UPF); Imed e Universidade La Salle (Unilasalle). 

Passo Fundo segue integrando pesquisa nacional 

A cidade de Passo Fundo também integra a pesquisa nacional que o Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) está desenvolvendo para medir a prevalência do coronavírus e avaliar a velocidade de expansão da doença no país, com financiamento do Ministério da Saúde do Brasil. A pesquisa vai estimar a proporção de pessoas com anticorpos para a Covid-19 e analisar a evolução de casos na população brasileira, por meio de uma amostragem de participantes em 133 “cidades sentinelas”, que são os maiores municípios das divisões demográficas do país, de acordo com critério do IBGE. Algo semelhante ao que já vem sendo feito no estado pela EPICOVID19. 
O cronograma da pesquisa prevê mais duas fases, com coletas de dados previstas para os dias 28 e 29 de maio, na 2ª fase, e 11 e 13 de junho, na 3ª fase. Ao final, terão sido realizados mais de 33 mil testes em cada uma das três fases, intercaladas por duas semanas, totalizando quase 100 mil pessoas. Além de Passo Fundo, outras seis cidades gaúchas farão parte do estudo a nível nacional – Caxias do Sul, Ijuí, Pelotas, Porto Alegre, Santa Cruz do Sul e Santa Maria. 

O estudo incluirá três inquéritos populacionais, realizados a cada duas semanas por meio de visitas domiciliares, conduzidas por equipes do IBOPE. A primeira foi desenvolvida na última semana,  com a realização de testes rápidos para o coronavírus e entrevistas com 250 participantes em cada uma das 133 cidades. Assim como na pesquisa realizada a nível estadual, as pessoas serão entrevistadas e testadas em casa, por meio de um sorteio aleatório, utilizando os setores censitários do IBGE como base. 
Os dados coletados também servirão de base para investigações sobre perfil demográfico e socioeconômico, sintomas relacionados à Covid-19, diagnóstico médico de enfermidades potencialmente relacionadas ao prognóstico da doença, uso de serviços de saúde e grau de cumprimento das recomendações de distanciamento social.