Notícias UPF

Medicina UPF: há 50 anos formando profissionais de excelência

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Arquivo pessoal

Em março de 2020, o curso de Medicina da Universidade de Passo Fundo (UPF) completa 50 anos. Desde sua aula inaugural, ocorrida em 9 de março de 1970, o curso já formou mais de 2 mil médicos, que atuam em Passo Fundo, no Brasil e também no exterior. Médicos reconhecidos pela sua competência profissional e humanizada e que acolhem os pacientes e seus familiares com respeito, ética e comprometimento.

Uma evidência dessa excelência foi o desempenho da agora egressa do curso Larissa Bianchini. Formada em 2019, Larissa obteve aprovação em 1° lugar no Exame da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), prova que é pré-requisito para seleção dos programas de residência no Rio Grande do Sul. Baseado nisso, Larissa foi selecionada para os programas de Residência em Clínica Médica de grandes centros de saúde no país, como o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP) nos campi São Paulo (capital) e Ribeirão Preto; o Hospital de Clínicas de Porto Alegre (3° Lugar); a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (1° Lugar); o Hospital Nossa Senhora da Conceição do GHC (1° Lugar); e o Hospital Moinhos de Vento de Porto Alegre (1° Lugar). 

De acordo com a médica, essas conquistas são frutos dos aprendizados obtidos com os professores do curso de Medicina da UPF ao longo dos seis anos de faculdade, aliados ao apoio de sua família.

Centro de Simulação Realística em Saúde
Nada disso é por acaso. Para o coordenador do curso, professor Dr. José Ivo Scherer, esse desempenho resulta de uma formação profissional excelente, baseada em um corpo docente e infraestrutura de qualidade. “Prova disso é que, no momento atual, nossas instalações estão sendo reformadas para dispor de um Centro de Simulação Realística, inédito dentre as escolas de medicina da região”, pontuou. 

A simulação realística em saúde tem sido uma estratégia para proporcionar um ambiente reflexivo e de transformação para o desenvolvimento de competências essenciais ao cuidado centrado no paciente e alcance dos objetivos e resultados propostos neste processo de aprendizagem e aprimoramento. 

Na opinião do diretor da Faculdade de Medicina, professor Dr. Paulo Reichert, os cenários para a realização das simulações são baseados em casos da vida real para treinar habilidades técnicas e não técnicas dos futuros profissionais. “Quando os estudantes passam a atender os pacientes, já têm um treinamento prévio, dando mais segurança ao estudante. Mesmo sendo um grande investimento, a UPF estabeleceu a implementação do Centro de Simulação Realística como prioridade, garantindo a qualidade dos médicos que ingressarão no mercado de trabalho, e de outros profissionais da saúde. Essa é uma das formas de retorno da nossa Universidade comunitária à sociedade”, completou.