Notícias UPF

Biologia estuda vegetação arbórea nativa e suas interações com a fauna

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Com o objetivo de conhecer as principais espécies florestais arbóreas nativas do Rio Grande do Sul, a disciplina de Silvicultura Ambiental do curso de Ciências Biológicas da Universidade de Passo Fundo (UPF) proporciona aos acadêmicos um contato direto com essas árvores. Esse contato aproveita as árvores do Campus da UPF, de locais onde são realizadas visitas técnicas. No dia 4 de setembro, acompanhados e orientados pelo professor Dr. Jaime Martinez, os acadêmicos estudaram as espécies de árvores nativas da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN/UPF), aproveitando os ricos recursos didáticos naturais da área natural protegida.

Durante a aula prática na RPPN UPF, foram estudadas árvores como o branquilho, a carne-de-vaca, a açoita-cavalo, o araçá-do-mato, o ipê-da-várzea, a sete-sangrias, a aroeira-preta ou bugre, a mamica-de-cadela e o pessegueiro-bravo, com suas interações com a fauna silvestre e as atividades humanas. 

Cada estudante fica responsável por pesquisar e apresentar uma espécie para toda a turma, destacando aspectos de seu fácil reconhecimento na floresta, sua fenologia, sua utilização pelo homem, sua importância para os animais silvestres, e seu modo de propagação, pensando na conservação das espécies florestais. “Estudar cada espécie de árvore em seu habitat natural já mostra muito de suas preferências e tolerâncias climáticas e ecológicas, bem como de sua posição no processo de regeneração e sucessão das comunidades vegetais”, comenta Martinez.

Os futuros biólogos puderam observar ainda os estágios de evolução da vegetação natural após três anos da retirada do gado e das lavouras de dentro da área protegida. Além disso, observaram os efeitos das florestas ciliares na conservação das águas da RPPN, com destaque para as nascentes e para o Arroio Miranda, que fornece cerca de 60% da água consumida pela população de Passo Fundo.