A Universidade

Responsabilidade Social

Construída de forma coletiva, a Política de Responsabilidade Social Universitária (RSU) oficializa e orienta o compromisso da UPF com o desenvolvimento social da região e do país em que está inserida. A implementação dessa Política revela o esforço da Instituição na perspectiva de responder, com criatividade e inovação, aos desafios postos pela sociedade contemporânea, expressos, inclusive, em atos normativos do Ministério da Educação (MEC) e seus órgãos vinculados, como o Conselho Nacional de Educação (CNE) e a Comissão Nacional de Avaliação (Conaes), que instigam as universidades a pautarem suas políticas e ações com responsabilidade social.

A vinculação com a comunidade e o compromisso com o desenvolvimento regional foram incorporados à natureza da Instituição para além de seu compromisso social e político. Para a UPF, portanto, ser comunitária tem um significado histórico e carrega a noção de identidade, de responsabilidade coletiva e de cooperação, tanto com a comunidade em que está inserida quanto com as instituições que integram o Consórcio de Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung) e a Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (Abruc), que expressam a mesma finalidade social.

A UPF foi concebida para participar do processo de desenvolvimento humano, social, educacional, cultural, econômico e tecnológico da região Norte do Rio Grande do Sul, onde mantém sua sede e onde, de forma extremamente comprometida, recebe alunos de várias outras regiões do estado e do Brasil. A Instituição, contudo, não restringe sua atuação a limites regionais, uma vez que se consolida como referência no que diz respeito a intercâmbios e relações de cooperação com países de todos os continentes.

Transversalmente às ações da UPF, a sua Política de Responsabilidade Social materializa a articulação entre ensino, pesquisa, extensão e gestão, expressos em seus diversos cursos e programas acadêmicos e administrativos. Hoje, a Universidade configura-se como uma Instituição totalmente inserida na prática social, assegurando a pertinência de suas ações e a sua inclusão nos planos local, regional, nacional e internacional.

O processo de gestão da Universidade é conduzido de modo colegiado e com foco em princípios como a universalidade e o acesso ao conhecimento das pessoas que constituem a comunidade acadêmica e daqueles com quem que a Instituição estabelece relações institucionais.  Nesse formato, os processos de tomada de decisão oportunizam a todos o acesso ao conhecimento e, assim, organizam um sistema sustentável e garantem sua evolução e continuidade.

Finalidade
A Política de Responsabilidade Social da UPF é alicerçada no Planejamento Estratégico, no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e no Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes). As discussões e as ações que envolvem seu desenvolvimento são orientadas pelo objetivo geral de “implementar na Instituição um sistema de governança organizacional baseado nos princípios e diretrizes de responsabilidade social definidos institucionalmente, o qual possibilite tomar decisões e realizar ações de identificação dos impactos sociais, ambientais e econômicos no contexto de atuação institucional, promovendo a cidadania, os direitos humanos e a sustentabilidade para as atuais e futuras gerações”.

O processo é constituído pelo trabalho desenvolvido em quatro grandes áreas de atuação, que estão previstas nos documentos da UPF e que foram contempladas para a definição da Política. Desse modo, as iniciativas da RSU da UPF serão orientadas pelas seguintes áreas: Inclusão social; Desenvolvimento econômico e social; Meio ambiente; Cultura, memória e patrimônio. 

      Áreas que orientam as iniciativas da RSU da UPF

Para dar suporte ao desafio que envolve a constituição das práticas de responsabilidade social e considerando as necessidades de colaboração de pessoas que se vinculam com áreas temáticas e/ou setores estratégicos relacionados à Política, a Universidade formou uma comissão de implementação da RSU, composta por representantes dos estudantes, dos professores e dos funcionários. 

As ações  de  RSU  na  Instituição  têm  sido  desenvolvidas  em  conjunto  com  o  grupo  de implementação da Política Ambiental Institucional (PAI) desde 2015, e, nesse sentido, tem se dado continuidade  aos  processos  de  sensibilização  e  de  formação  acerca  dos  conceitos  e  diretrizes propostos pela RSU. Esses processos têm sido pensados a partir de um princípio participativo e dialógico, no qual todos possam se  sentir  incluídos  e  comprometidos  com  a  proposta,  seus conceitos e diretrizes. Como estratégia principal, tem sido potencializado e fortalecidos os espaços de formação, divulgação e  sensibilização,  promovendo  a  reflexão  e  a discussão  da  comunidade acadêmica sobre o tema.  As principais estratégias estão diretamente relacionadas com a missão institucional e ações  junto  à  dimensão  da  gestão,  articulando  com  as  diversas  áreas  do conhecimento que pautam discussões e práticas de RSU. Para isso, são mediadas articulações com as unidades acadêmicas, por intermédio  dos  seus  representantes/dinamizadores,  centros  e  núcleos institucionais, programas e projetos de extensão, setores da Instituição, comunidade acadêmica e externa, órgãos específicos competentes, buscando aproximar as experiências/práticas que têm sido desenvolvidas a fim de consolidar as ações de sensibilização/formação enquanto um processo de apropriação  conceitual.  

Desde 2016, a Instituição tem promovido uma discussão ampla e coletiva da proposta de um  Código  de  Ética  Institucional.  Esse  processo  de  construção  está  acontecendo  de  forma dialógica, perpassando as diversas áreas do conhecimento e da gestão articulado com as metas e estratégias da RSU,  tem  como  eixo  transversal  a  temática  dos  direitos  humanos.  Em 2017, foram  realizados  diversos  encontros  a  fim  de  pactuar  uma  proposta  que  atenda  aos indicadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), aos indicadores ABNT e ao Instituto Ethos no que diz respeito à responsabilidade social, bem como às políticas, normas, demandas  e  especificidades  das  diversas  áreas  da  Instituição.  Em 4  de  setembro  de  2018,  a proposta do Código foi apreciada e aprovada pelo Conselho Universitário, sendo posteriormente submetida para aprovação do Conselho Diretor da Fundação Universidade de Passo Fundo.

Em 2017, a Instituição aderiu ao Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos (Pacto EDH), atendendo às estratégias de implementação da RSU.   O objetivo dessa ação é incentivar a educação em direitos humanos por meio de um plano de  trabalho  que  contemple  a  aproximação  entre  a  instituição  e  a  comunidade,  primando  pela construção de conhecimentos, de valores e de práticas convergentes com os Direitos Humanos no ensino, na pesquisa, na extensão, na gestão e na convivência universitária e comunitária.

Recentemente, em 2018,   a  Instituição  aderiu  à  Unión  de  Responsabilidad  Social Universitaria  Latino-americana  (URSULA).  Nesse  sentido,  está  em andamento a aplicação da matriz de diagnóstico proposta por essa rede que propõe uma análise a partir de 12 metas e 66 indicadores, considerando as seguintes dimensões: Gestão organizacional (GO),  Formação  (F),  Cognição  (C)  e  Participação  social  (PS).  
 
Tradição e Responsabilidade Social reconhecidas
A UPF também recebeu nos últimos anos outros importantes prêmios:

  • Medalha Responsabilidade Social, concedida pela Assembleia Legislativa/RS;
  • Prêmio de Responsabilidade Social, concedido pela Assembleia Legislativa/RS;
  • 6º Prêmio de Responsabilidade Social, promovido pelo Sindicato do Ensino Privado Sinepe/RS; 
  • Santander Universidades: Prêmio Guia do Estudante – Destaques do Ano 2013 – Categoria Autoavaliação Institucional, pelo projeto Planejamento Estratégico como Ferramenta de Autoavaliação e de Gestão, do curso de Engenharia de Alimentos, da UPF.