Notícias UPF

Compartilhando existências e resistências

  • Por: Assessoria de Imprensa

Semana Acadêmica da Faed promoveu debate sobre os desafios da mulher na sociedade

Um debate com o tema “Re (Existência) feminina: compartilhando vivências” fez parte da abertura oficial da Semana Acadêmica da Faculdade de Educação da Universidade de Passo Fundo (Faed/UPF), que iniciou na terça-feira, 2 de abril, e que encerra na sexta-feira, dia 5. O debate ocorreu na noite de quarta-feira, 3 de abril, no auditório da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Feac), e contou com a participação da professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, reitora da UPF; de Edivânia Rodrigues da Silva, educadora e militante dos Direitos Humanos; e de Paola Mariah Franchini, acadêmica do curso de Design de Moda.

Comissão organizadora deu as boas-vindas ao público
Comissão organizadora deu as boas-vindas ao público

A solenidade de abertura contou com as boas-vindas da comissão organizadora do evento e da diretora da Faed, professora Dra. Adriana Dickel, e com uma reflexão feita pelo acadêmico de Medicina da UPF e youtuber Matheus Dalmolin Winckler, que tem um canal voltado para o desenvolvimento integral humano.

Matheus Dalmolin Winckler desafiou o público a se olhar por alguns minutos
Matheus Dalmolin Winckler desafiou o público a se olhar por alguns minutos

O público conferiu o que as convidadas da noite tinham a dizer sobre Re (Existência). Bernadete Maria Dalmolin, que é mestre e doutora em Saúde Pública, graduada em Enfermagem, e que já foi vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF e atualmente é reitora da UPF, falou sobre sua trajetória e desafios da sua vida. “Minha história, como estudante, profissional e agora na gestão, minhas origens e as pessoas com quem convivi fazem sentido para quem eu sou hoje. A forma que eu vim ao mundo, o lugar onde nasci, as lutas que travamos juntos enquanto família, tudo isso me constituiu como alguém que sempre precisou lutar, me incomodar, me inquietar. Tínhamos dificuldade de acesso a quase tudo, à escola, a boas bibliotecas, mas isso me fez ser resistente, me fez querer lutar, e me sinalizou um caminho”, declarou Bernadete.

Convidadas falaram sobre suas Re (Existências)
Convidadas falaram sobre suas Re (Existências)

Militante dos direitos humanos e da luta pelos direitos das mulheres, Edivânia também ressaltou seus desafios enquanto mulher negra na sociedade. “Sou resistente desde que nasci. É muito difícil para as mulheres negras existirem e resistirem, porque há momentos em que você não existe, você só vive. Fui existindo e resistindo porque fui rompendo preconceitos”, enfatizou a integrante da Comissão de Direitos Humanos de Passo Fundo.

A resistência também é muito presente na vida da estudante Paola Mariah Franchini. “Resistência: sou uma pessoa que está envolvida neste tema até o pescoço. Querendo ou não, sou uma das poucas pessoas trans que conseguiu chegar a uma faculdade. Tive que ser resistente a vida inteira. Já existência é existir. É gritar e dizer que estou aqui e mereço educação, saúde, proteção e segurança. Meus direitos precisam ser garantidos”, salientou Paola.

A Semana Acadêmica da Faed abrange oficinas, salas temáticas, sarau e debate. Nesta quinta-feira, 4 de abril, serão realizadas as salas temáticas por curso, e, na sexta-feira, dia 5, um sarau encerrará a programação, que ocorre sempre a partir das 19h20min.