Notícias UPF

Jornadas Literárias de 2017 viram documentário

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Natália Fávero e Camila Guedes

Ações e programação da 16ª Jornada e da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, realizadas em outubro do ano passado, foram transformadas em documentário

Cerca de 30 horas de gravação, seis pessoas envolvidas na produção e um resultado de 80 minutos de boas lembranças. Assim, foi lançado, na noite dessa quarta-feira, 31 de outubro, o documentário da 16ª Jornada Nacional de Literatura e da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, que ocorreram de 2 a 6 de outubro de 2017, na Capital Nacional de Literatura, em Passo Fundo/RS. O lançamento foi realizado no auditório da Biblioteca Central da Universidade de Passo Fundo (UPF), com a presença do vice-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF, professor Dr. Rogerio da Silva; de um dos coordenadores das Jornadas Literárias, professor Dr. Miguel Rettenmaier; do prefeito de Passo Fundo Luciano Azevedo; além de membros da comissão organizadora, patrocinadores, apoiadores e comunidade. 

Com um público de mais de 50 mil pessoas e 84 escritores, as Jornadas, em 2017, foram marcadas pelo movimento de jornalização de Passo Fundo, que espalhou cultura e literatura por toda a cidade. O documentário, produzido pela Film Journée, faz um resgate da última edição, com depoimentos dos organizadores e de escritores que passaram pelos espaços da Jornada. Dentre os autores que deixaram o seu registro, estão os coordenadores de debates Alice Ruiz, Augusto Massi e Felipe Pena, e autores como Jean-Claude Alphen, Pedro Daniel Kondo, Cintia Moscovich, Conceição Evaristo, Federico Andahazi, Marina Colasanti, Mario Corso, Pedro Gabriel, Rafael Coutinho, Roger Mello, Zeca Camargo, entre outros escritores que participaram da última edição da Jornada.

De acordo com o documentarista Carlos Teston, responsável pela direção do documentário, a narrativa é feita por meio dos depoimentos dos escritores e artistas que estiveram aqui. “É uma felicidade muito grande poder documentar, poder mostrar, trazer um olhar sobre o que aconteceu, principalmente por ser a retomada da Jornada, com esse novo conceito de jornalização, com esse foco na comunidade. A gente tentou trazer o que aconteceu na Jornada, tentou ser o mais fiel possível a essa movimentação literária”, disse Teston. 

Os cinco dias de Jornada e Jornadinha, com toda a sua programação e o momento social, cultural e político vivido na época de sua realização, foram relembrados no documentário, que também abrangeu o processo de formação de leitores, que antecedeu o evento. “É um registro de diálogo que nos mostra o trabalho feito antes da Jornada, de formação do leitor, de comunidades leitoras e do quanto a sociedade se envolveu no processo. Além de registro, o documentário serve de proposta para o próximo ano, para rearticular todas as forças da sociedade para uma belíssima Jornada, em 2019, na mesma referência de formar leitores e comunidades leitoras, esteticamente sensíveis e conscientes do seu papel na sociedade”, declarou um dos coordenadores das Jornadas Literárias, professor Dr. Miguel Rettenmaier.

Jornadas Literárias: orgulho da cidade
Promovidas pela UPF e pela Prefeitura de Passo Fundo, as Jornadas são, na opinião do vice-reitor, um movimento histórico que já tem quase 40 anos. “Que bom que nós temos esse documentário que é tão importante, que é resgate do que aconteceu. As pessoas ao longo dos anos vão poder pesquisar, vão poder buscar informações e saber como foram as nossas Jornadas Literárias”, pontuou o professor, que também destacou que o trabalho para fazer as Jornadas de 2019 já iniciou. “A UPF já está, juntamente com a Prefeitura, se preparando para a próxima edição, e, com certeza, esperamos repetir o sucesso e manter aquilo que a Jornada sempre faz e com que sempre se preocupou, que é a formação de leitores”, completou. 

O prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, falou do orgulho da realização das Jornadas Literárias no município, que é a Capital Nacional da Literatura. “A Jornada foi um sucesso. Nessa edição, em particular, a cidade realmente se apropriou e respondeu ao chamado da Jornada. A jornalização é isso. A cidade se vestiu de Jornada, viveu, conheceu e aproveitou mais o evento, e, consequentemente, se orgulhou mais da Jornada, promovida aqui há tantos anos”, destacou o prefeito.

Também prestigiaram a exibição do documentário o secretário de Cultura de Passo Fundo, Pedro Almeida, e alguns representantes dos patrocinadores da Jornada, como Ivanor Rodrigues do Grupo Zaffari; Jenio Galon, superintendente do Banrisul da Superintendência Alto Uruguai; Mara Elisa Saccardo Rocha, gerente geral do Banrisul da Agência UPF Campus I; e Marivania Langaro, gerente adjunta do Banrisul da Agência UPF Campus I.

17ª Jornada e 9ª Jornadinha Nacional de Literatura
A próxima edição das Jornadas Literárias deve ocorrer entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro de 2019, no Portal das Linguagens, Campus I da UPF. A expectativa dos coordenadores é ampliar o trabalho iniciado em 2017, envolvendo e jornalizando também as cidades da região. De acordo com Rettenmaier, as referências de trabalho em 2019 serão vinculadas a um novo contexto, no qual conceitos em aberto marcarão as linhas de discussão. “Em 2017, homenageamos quatro autores canônicos no sistema literário brasileiro. Em 2019, faremos uma grande incursão por conceitos que carecem de novas definições, de sentidos atualizados à realidade presente do país. Trataremos de quatro termos: diversidade, conexões, liberdade e futuro. Esses conceitos serão temas de debates e também ganharão espaços no complexo da Jornada”, destacou o professor.

O documentário completo está disponível aqui