Histórico

Entendendo a necessidade de fomentar e gerir a inovação, interna e externamente, a Universidade de Passo Fundo criou, em 20 de março de 2006, o seu Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia (NIT), denominado UPFTec, que caracterizou a primeira ação institucionalizada que permitiu a implementação de um parque científico e tecnológico na região. A UPFTec, que é vinculada à Vice-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, tem como função primordial a promoção da inovação e da transferência de tecnologia, adotando como referência o modelo da tríplice hélice, buscando aproximar a Universidade e seus pesquisadores do poder público e das empresas.

A UPF, ao associar-se à Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), em 2008, marcou presença no cenário nacional e consolidou o interesse em promover atividades de capacitação, articulação de políticas públicas e geração e disseminação de conhecimentos por meio dessa importante associação. Além da Anprotec, a UPF, como atual entidade gestora do Parque, participa da Câmara de Comércio e Indústria Brasil/Alemanha, do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec) e da Rede Gaúcha de Propriedade Intelectual. 

Em 04 de novembro de 2013, foi inaugurado o primeiro módulo do Parque Científico e Tecnológico UPF Planalto Médio (UPF Parque), em parceria com o Governo do Estado do Rio Grande do Sul e com apoio da Prefeitura de Passo Fundo. A solenidade contou com a presença de lideranças estaduais, regionais e municipais, comunidade acadêmica, empresários e convidados. Na oportunidade, representantes da UPF e da Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Governo do Estado (SCIT) formalizaram anúncio de convênio que destina R$ 2,3 milhões para o terceiro módulo do empreendimento. O segundo módulo já está em construção.

O segundo e o terceiro módulos UPF Parque foram inaugurados em 2016, em solenidade que contou com a presença do governador do Estado, José Ivo Sartori, além de outras autoridades. O módulo II, denominado Central Multiuso de Equipamentos (Cemulti) e Centro Tecnológico e Incubadora para Agricultura de Precisão, tem área física de 1.624 m² e contou com um investimento de R$ 2.750.000,00, dos quais R$ 1 milhão foi contrapartida da UPF. No espaço, funcionam a Fábrica de Ideais, salas para incubadora IUP e laboratórios. No módulo III, chamado de Centro Tecnológico e Incubadora Metal-Mecânico, foram investidos quase R$ 3 milhões. Nesse espaço, estão disponíveis a Fábrica de Software, empresas incubadas e o laboratório de produção e testes de Protótipos de Produtos para serem lançados ao mercado consumidor.