Projeto

Rio Passo Fundo: um olhar de sensibilidade e compreensão

 

Antes mesmo da cidade se instalar, o Rio Passo Fundo foi o lar de índios, levou tropeiros por caminhos recém abertos, serviu de alimento, abrigo e passagem para aqueles que viram no Planalto um caminho fácil para as feiras de Sorocaba e Minas Gerais: por aqui passavam o gado, o couro, o sebo e parte da gente que desbravava o país no início do século XIX. Antes de Passo Fundo nascer, o Rio, que dá nome ao município, já aguardava a chegada da cidade e presenciava, de perto, a região ser uma importante ligação do estado com o centro do Brasil. O Rio Passo Fundo testemunhou a história: viu chegar os índios Caigangues e TupiGuaranis, passar o tropeiro paulista, o imigrante, a agropecuária, comércio e a indústria. Antes de tudo, o Rio. A partir dele, a vida. 

Assim, com esse pensamento e imerso nesse cenário, o “Projeto Rio Passo Fundo: patrimônio paisagístico, natural, ambiental, histórico-cultural, econômico e político” - desenvolvido pelo Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (MAVRS), com o apoio do Museu Histórico Regional (MHR) e do Museu Zoobotânico Augusto Ruschi (Muzar), ligados à Universidade de Passo Fundo e realizado a partir do patrocínio de R$ 300 mil provenientes do Programa CAIXA de Apoio ao Patrimônio Cultural Brasileiro 2017/2018 - busca reconhecer o Rio Passo Fundo como parte essencial da sociedade. 

O projeto, que envolverá os 30 municípios da Bacia Hidrográfica do Rio Passo Fundo, será desenvolvido durante os anos de 2017 e 2018 e consiste na realização de exposições e, principalmente, na construção de um banco de dados – constituído a partir de informações obtidas durante as expedições realizadas e, ainda, através do Edital de Mapeamento de Potenciais Informativos - que permitirá que a comunidade tenha acesso e conhecimento sobre todas as informações que compreendem a Bacia Hidrográfica. Para a construção das exposições – que serão abertas à visitação no ano de 2018 – serão realizadas, durante este ano, cinco expedições que percorrerão nove municípios - Passo Fundo, Pontão, Ipiranga do Sul, Campinas do Sul, Cruzaltense, Ronda Alta, Entre Rios do Sul, Nonoai, Faxinalzinho e Goio-En - em busca de informações e vestígios históricos e ambientais sobre o Rio Passo Fundo.