Intercâmbios e inserção social

Durante o primeiro ano de funcionamento do PPGECM foram consolidadas algumas parcerias com outras instituições e programas no Brasil. Tais parcerias possibilitaram intercâmbios com mobilidades de docentes e troca de experiências. Além disso, os intercâmbios possibilitaram atividades de cooperação e parcerias, inclusive com o estabelecimento do primeiro convênio de intercâmbio entre a UPF e a Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI, campus Santo Ângelo. O convênio prevê atividades tais como: disponibilização de informações, por ambas as partes ou cumprimento ao pedido de uma delas, no que concerne a planos de pesquisa, estudo, administração e planejamento docente; intercâmbio de material didático e bibliográfico; estada de professores por períodos determinados, com o propósito de ministrar conferências, participar em cursos e no desenvolvimento de programas de docência comum; realização conjunta de estudos e projetos de pesquisa em temas de interesse comum podendo, em tais casos, recorrer a fontes de financiamento externo para o desenvolvimento dos mesmos, com prévio acordo de ambas as partes; colaboração em projetos de pesquisa e desenvolvimento que uma das partes tenha em execução, intercambiando informações, docentes, discentes, investigadores e pessoal administrativo e técnico; participação de graduados em cursos de pós-graduação ou especialização, mestrado, doutorado e programas de extensão; permitir o uso de laboratórios, assim como assistência no uso dos mesmos, mediante plano de trabalho aprovado pelas partes; orientação acadêmica dos estudantes, com o fim de que participem de seminários e outros programas de complementação; organização de conferências, seminários e cursos sobre problemas que possam interessar a ambas as partes ou a cada uma das universidades; elaboração de programas e planos de estudos conjuntos; outras atividades de cooperação que se acordem entre ambas as partes. Inclusive, essa parceria já produziu resultados, na forma de trabalhos realizados entre este programa (PPGECM) com o Mestrado em Ensino Científico e Tecnológico, da URI de Santo Ângelo, de autoria dos professores Carlos Ariel Samudio Pérez (PPGECM - UPF) e Antônio Vanderlei dos Santos (URI Santo Ângelo).

Além do convênio mencionado, destaca-se que outros convênios estão sendo buscados, especialmente com as instituições próximas a UPF, uma vez que isso permite melhor e com maior frequência a locomoção dos mestrandos entre os programas para a participação em atividades. Nesse intuito, destaca-se o convênio já mencionado anteriormente (URI) e em pleno andamento e as primeiras tratativas com a Univates (Centro Universitário do Vale do Taquari de Ensino Superior) e com o Instituto Federal Sul-riograndense - IFSul Pelotas, RS.

Outras formas de intercâmbios entre instituições e grupos de pesquisa são as participações em bancas e em eventos científicos. As bancas em que docentes do PPGECM participam foram destacadas nas atividades complementares, (item 11) e denotam o envolvimento dos docentes com outros programas de pós-graduação no país. Em termos dos eventos destaca-se que os docentes participaram de eventos nacionais e internacionais com apresentação de trabalhos e conferências. Além dos docentes participaram de eventos os discentes do programa, muitos deles com apresentações de trabalhos. O detalhamento dessa participação de discentes e docentes está no item 1 (Histórico e Contextualização do Programa).

Ainda dentro do intercâmbio nacional, agregando também pesquisadores internacionais, mencionam-se as palestras proferidas no PPGECM por docentes e pesquisadores de outros programas e igualmente indicados no item 1 (Histórico e Contextualização do Programa).

O PPGECM realizou em 2016 intercâmbio que envolveu a vinda da professora Dr. Ana Rita Lopes Mota, docente convidada da Universidade de Harvard - EUA, com o objetivo de ministrar palestras e participar de atividades no projeto Metacognição e a Educação Científica, coordenado pela professora Cleci T. Werner da Rosa. A pesquisadora de Harvard desenvolveu suas atividades no período de 04/07/2016 a 08/07/2016 e estabeleceu parcerias para projetos futuros e possibilidades de visitas futuras à instituição. Além disso, ela colaborou na pesquisa em desenvolvimento da mestranda do PPGECM Caroline Maia Ghiggi.

O PPGECM mantém convênio com instituições estrangeiras. Entre elas estão a Universidade de Alcalá de Henares e a Universidade de Valência na Espanha. Tais convênios relacionados ao projeto Metacognição e a Educação Científica envolve a realização de pesquisas entre as duas universidades espanholas, a Universidade de Coimbra em Portugal e o PPGECM UPF. As pesquisas já em desenvolvimento desde 2014 tem repercutido em envolvimento dos pesquisadores em eventos no Brasil, Portugal e Espanha; na elaboração de um capítulo de livro em processo de finalização (Critical inquiry, question asking and the structure of conscious ignorance. Livro: Academic Growth in Higher Education, organizado por Helena Pedrosa e Mike Watts. Autores do capítulo: Cleci Werner da Rosa; José Otero); e com a elaboração do artigo submetido a Science Education: Influence of epistemic authority on students’ noticing comprehension obstacles in science texts. Autores: Cleci Werner da Rosa; José Otero.

Outra ação de Intercâmbio Internacional refere-se ao convênio com a universidade de Roma Tre, estabelecido entre essa universidade e os programas PPGECM e PPGEdu (Educação) da UPF. Por conta desse convênio, que será mencionado no item internacionalização, o professor de RomaTre/Itália, Dr. Mario Pireddu proferiu palestras, por videoconferência para o corpo docente e discente desse programa, sobre os temas “Redes sociais e educação” e “Revolução social e cultural do século XXI e suas implicações na educação”.

No ano de 2016, na banca de qualificação do aluno Guilherme Dionisio contou com a participação do professor Dr. Paulo Simeão de Oliveira Ferreira de Carvalho, do Departamento de Física e Astronomia da Universidade do Porto/Portugal.

O PPGECM recebeu em 2016 a visita do professor Dr. Azzam Foad George Taktak, da Universidade de Liverpool e do Royal University Liverpool Hospital. O professor esteve na UPF no período de 1 a 15 de novembro de 2016, a convite do professor Dr. Luiz Eduardo S. Spalding para participar de pesquisas e atividades vinculadas a orientações de mestrado nos dois programas em que o docente atua: PPGECM e Computação Aplicada. No PPGECM o Dr. Azzam esteve envolvido com o trabalho de mestrado do aluno Guilherme Dionisio e participou de atividades na linha de pesquisa Tecnologias de Informação, Comunicação e Interação Aplicadas ao Ensino de Ciências e Matemática (Projeto Recursos tecnológicos aplicados ao ensino de ciências e matemática). Os custos para a vinda do professor Dr. Azzam foram solicitados a Capes pelo programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada.

Considerando que 2014 foi o primeiro ano de funcionamento do PPGECM e, dessa forma, a colaboração com outros programas de Pós-Graduação ainda é incipiente. Contudo, o diálogo por meio da participação em pesquisas, bancas e eventos denota que o grupo de docentes se mostra interessado em conversar com outros pesquisadores e manter um contato permanente. Como desejo futuro, pretende-se estabelecer contato com grupos novos, de modo a compartilhar experiências e auxiliar na nucleação de novos programas de pós-graduação no Brasil.

No ano de 2016, destacam-se as seguintes atividades que vão ao encontro deste indicador, a saber: a) Física na Praça, sob coordenação da professora do PPGECM Dra. Cleci T. Werner da Rosa, promovido pelo Curso de Física da UPF; b) V Olimpíada de Programação de Computadores para Alunos do Ensino Fundamental: de coordenação do professor Dr. Adriano Canabarro Teixeira. Esta Olimpíada é uma iniciativa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão Digital, dos projetos de Extensão Mutirão pela Inclusão Digital e Interação das Olimpíadas Brasileiras de Matemática para as Escolas Públicas com o Ensino da Matemática da Universidade de Passo Fundo, com apoio da Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura Municipal de Passo Fundo e do Núcleo de Tecnologia Educacional da 7a Coordenadoria Regional de Educação. Seus objetivos são: 1) Promover a introdução de programação de computadores no ensino fundamental, através do Scratch; 2) Criar novas formas de utilização dos recursos de informática das escolas para o auxílio nas diversas áreas do conhecimento; 3) Proporcionar novos desafios aos estudantes, visando à interdisciplinaridade; 4) Aproximar a Universidade das redes públicas de ensino; c) IV Olimpíada de Robótica Educativa Livre: de coordenação dos professores Dr. Marco A. S. Trentin, Dr. Adriano C. Teixeira e Dra. Cleci T. Werner da Rosa, tem por objetivo: 1) Promover a utilização da programação de computadores e robótica livre no ensino fundamental e médio; 2) Criar novas formas de utilização dos recursos de informática das escolas; 3) Despertar interesse para as áreas de Física, Matemática e Informática; 4) Proporcionar novos desafios aos estudantes; d) Aproximar a Universidade das redes públicas de ensino. Estas ações contaram com as seguintes parcerias: Prefeitura Municipal de Passo Fundo (Secretaria de Educação de Passo Fundo), Secretaria de Educação do Estado do RS, Instituto Federal Sul-Rio-Grandense e Faculdades Meridional, Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE), ligados às Coordenadorias Regionais de Educação (CREs); e) Produção de Biocombustível com Resíduos de Óleo Usado na Região de Abrangência da UPF, onde os representantes do projeto estiveram reunidos com representantes municipais de algumas cidades, a fim de realizar parcerias de caráter técnico-científico para implantação de estudos sobre produção e destinação de óleo de cozinha. Trabalhos que já foram e estão sendo desenvolvidos para uma campanha de sensibilização acerca das causas do descarte indevido do óleo de cozinha utilizado e as propostas do projeto para minimizar os problemas causados por esse destino incorreto.

O PPGECM teve sua primeira turma em 2014 e, no final de 2015, teve seu primeiro aluno concluinte. Já em 2016, foram dez alunos concluintes. Os mecanismos para acompanhamento estão sendo estudados pelos docentes, através de grupos em redes sociais e via correio eletrônico. Contudo, salienta-se que a UPF tem um programa específico de acompanhamento de seus egressos, denominado Elos. O programa é uma iniciativa que busca aproximar a instituição de seus ex-alunos, diplomados por ela, oferecendo benefícios e fortalecendo esse relacionamento. Todo egresso da Universidade que tenha concluído, pelo menos, um curso de graduação ou pós-graduação pode participar. Para isso, é necessário apenas realizar um cadastro e solicitar o cartão Elos.

O principal meio de visibilidade do PPGECM é a página do programa, hospedada no site da UPF [http://ppgecm.upf.br/]. Nela é possível visualizar todas as informações do curso, tais como datas, atividades e demais informações concernentes ao PPGECM. A página principal apresenta o programa, o mercado de trabalho, a coordenação geral e adjunta, bem como a das linhas de pesquisa, comissão de bolsas e de seleção discente. Nas páginas seguintes é possível encontrar informações sobre as linhas de pesquisa, o currículo do curso e dos professores, além de informações acerca das dissertações concluídas. A estrutura curricular é descrita com detalhes e é informado o número de créditos necessários para a conclusão do curso. Também está disponível o Regimento Interno e outras informações necessárias aos alunos e futuros alunos, tais como documentos e formulários. Os horários e disciplinas de cada semestre também estão na página e os produtos educacionais decorrentes dos trabalhos dos alunos estão sendo incluídos gradativamente.

Outra forma de visibilidade do programa é por meio das redes sociais. Há páginas nessas redes que divulgam o curso. Também são confeccionados cartazes no formato A4 e folders para envio às escolas com informações sobre o mestrado e seu processo seletivo, bem como é mantido na instituição um banner com o nome do curso exposto na entrada do prédio, bem como em demais dependências, sempre que há alguma ação/evento do PPGECM. Os folders e cartazes são enviados por mala direta às escolas de educação básica da região de abrangência da UPF e também entregue diretamente nessas escolas pelos professores do programa e pelos alunos da graduação durante seus estágios supervisionados.

A inserção social do PPGECM caracteriza-se pelo compromisso dos docentes e discentes com a melhoria da educação básica nas áreas que se encontram envolvidas, especialmente no que diz respeito ao conhecimento científico e tecnológico. Acredita-se na importância de que as ações realizadas no âmbito do Programa encontrem eco na sociedade e possam contribuir com a melhoria da qualidade de vida das pessoas. Para tanto, os projetos, especialmente de extensão, as palestras e conferências, os minicursos e as oficinas buscam atender a uma parcela da sociedade que está diretamente vinculada à vida acadêmica e que pode, por intermédio de ações de inserção social, ser beneficiada. As ações desenvolvidas no PPGECM, em 2016, a exemplos dos anos de 2014 e 2015, foram pautadas nessa lógica e estão associadas à educação básica, portanto, foram descritas neste item do relatório (Interfaces com a Educação Básica) e, além disso, também estão descritas no item Integração com a Sociedade/Mercado de Trabalho. Contudo, seja enquanto ação voltada à educação básica, seja enquanto inserção social, o compromisso dos docentes e discentes nesses primeiros anos do Programa foi a preocupação em levar à comunidade, em seus mais diferentes locais, possibilidades de refletir e repensar a ação dos professores que lá estão atuando, de modo a buscar a qualificação da prática pedagógica.

Além das atividades descritas no item Integração com a Educação Básica, destacam-se ações que denotam o compromisso com a inserção social do Programa, tal como a coluna do professor Adriano C. Teixeira na Revista Somando (http://rdplanalto.com/revista-somando/ ), de circulação e distribuição local, referente à temática Era Digital.

Outra atividade, igualmente coordenada pelos professores Adriano C. Teixeira e Marco Antonio S. Trentin, de periodicidade anual, é a ação EcoDigital, que consiste na coleta de resíduos digitais realizada por professores da UPF integrantes do Gepid e por alunos bolsistas dos projetos vinculados ao grupo, inclusive discentes do PPGECM. Em 2016, ocorreu a quinta edição do evento, que contou com a parceria da ONG Amor, do Leo Clube Passo Fundo, do Rotary Passo Fundo e da empresa de reciclagem Recycle. Por meio dessa iniciativa, são recolhidos lixos resultantes dos equipamentos obsoletos ou danificados, tais como televisores, telefones celulares, computadores, câmeras digitais, rádios, e outros eletrodomésticos. São equipamentos fabricados com grandes quantidades de substâncias nocivas ao meio ambiente e ao homem, somando 50 milhões de toneladas de resíduos por ano. Em 2016, foram arrecadadas cerca de 8 toneladas de resíduos. Também serviu de fonte para obtenção de diversos componentes eletrônicos para serem utilizados pelo grupo de Robótica Educativa Livre.

Outro evento de natureza da inserção social, realizado desde 2013, Física na Praça, sob coordenação da professora do PPGECM Dra. Cleci T. Werner da Rosa, promovido pelo Curso de Física da UPF, contou com mais de 800 participantes. Nesta edição, o evento contou com, além de participantes do município de Passo Fundo, excursões de alunos oriundos de outras escolas de municípios próximos a Passo Fundo. A educação científica de excelência nas escolas, bem como na formação universitária, contribui na busca por soluções aos problemas sociais, econômicos e de desigualdades que afetam nosso país. Neste sentido, a popularização da ciência oferece a oportunidade de aproximar os jovens das carreiras científicas, além de mostrar à comunidade que essa ciência faz parte da vida cotidiana e se encontra relacionada às mais distintas e simples tarefas da vida, como o simples, mas complexo ato de pensar. O uso de espaços livres como praças, feiras e shoppings para fazer ciência possibilita que a comunidade tenha acesso ao conhecimento que, na maioria das vezes, fica restrito aos seus protagonistas e ao mundo acadêmico. Além disso, oportuniza que cientistas, estudantes e a população dialoguem e troquem experiências/informações sobre o conhecimento científico, cada qual com suas percepções e convicções. Nessa perspectiva o evento denominado “Física na Praça” apresenta como principal objetivo contribuir para a difusão e a popularização da ciência buscando aproximar estudantes e sociedade dos eventos científicos presentes no mundo vivencial próximo e remoto. De modo particular, a atividade desenvolvida no âmbito do projeto, busca por meio da interação com equipamentos relacionados à Física, explorar a curiosidade e despertar o interesse do público pelas questões vinculadas à ciência. A atividade desenvolvida pelo Curso de Física tem o apoio do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática, do Pibid Física e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Astronomia e Física da Universidade de Passo Fundo. A atividade consiste em duas etapas distintas, ambas com a participação do PPGECM: inicialmente é desenvolvido no contexto da Universidade as propostas de atividades e equipamentos que serão apresentados no dia do evento; a segunda etapa refere-se ao evento propriamente dito, que é realizado à noite em uma praça localizada no centro da cidade. Para a praça são levados equipamentos relacionados a fenômenos físicos e à Astronomia que possibilitem ao público a interação, discussão, questionamentos e observações.

A UPF disponibiliza um canal de TV, afiliada do canal Futura, de abrangência regional, com programas de inserção nacional, no qual o PPGECM participa periodicamente de entrevistas sobre suas ações de pesquisa e extensão.

O projeto de criação do PPGECM nasceu ligado à educação básica, pois seu caráter profissional e voltado ao exercício do magistério confere-lhe uma ligação direta entre esta e a Universidade. Com efeito, as disciplinas e os projetos de pesquisa propostos e desenvolvidos no curso apresentam como característica principal fazer essa articulação, possibilitando que os produtos educacionais estejam direcionados à qualificação e melhoria da educação básica. Além disso, a atuação de docentes em cursos de licenciatura com significativa participação nas disciplinas de formação pedagógica e orientação de estágios viabilizam um contato permanente com a escola. Os projetos de pesquisa, essencialmente voltados à formação de professores e à educação básica, também evidenciam o compromisso do curso com esse nível de escolarização.

O PPGECM participa do Pibid (Programa Institucional de Iniciação à Docência) por meio de sua coordenação de área exercida pela docente permanente professora Cleci T. Werner da Rosa. A aproximação entre o PPGECM e o Pibid Física tem possibilitado o envolvimento de discentes do PPGECM com alunos de graduação e com professores da educação básica. No ano de 2016, foi realizado um evento conjunto entre o Pibid Física e o PPGECM, mencionado no item 1 (Histórico e Contextualização do Programa). O evento intitulado II Mostra Gaúcha de Validação de Produtos Educacionais e I Encontro Pibid Física RS envolveu a participação de docentes e discentes do PPGECM e de outros programas do Rio Grande do Sul, bem como professores da rede pública e acadêmicos bolsistas do Pibid Física do RS.

Também associada à educação básica, menciona-se que a quinta edição da Olimpíada de Programação de Computadores para alunos do ensino fundamental foi organizada pelo docente do PPGECM Adriano C. Teixeira, com colaboração da discente Thaíse Uczay de Jesus, de bolsistas de iniciação científica e de professores dos cursos de graduação de Matemática e Ciência da Computação. O evento foi uma iniciativa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão Digital, dos projetos de extensão “Mutirão pela Inclusão Digital” e “Interação das Olimpíadas Brasileiras de Matemática para as Escolas Públicas com o Ensino da Matemática da UPF”, com apoio da Secretaria Municipal de Educação de Passo Fundo e do Núcleo de Tecnologia Educacional da 7a Coordenadoria Regional de Educação. Dentre os principais objetivos do evento, estão os de promover a introdução de programação de computadores no ensino fundamental, por meio do Scratch; de criar novas formas de utilização dos recursos de informática das escolas para o auxílio nas diversas áreas do conhecimento; de promover novos desafios aos estudantes, visando à interdisciplinaridade; e de aproximar a Universidade das redes públicas de ensino. Contou com a participação de alunos de escolas públicas de Passo Fundo e da região.

Outro evento pertinente à educação básica, organizado pelo Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão Digital e coordenado pelos professores do PPGECM Marco Antonio S. Trentin, Cleci T. Werner da Rosa e Adriano C. Teixeira, foi a Olimpíada de Robótica Educativa Livre para Estudantes do Ensino Fundamental e Médio. A Olimpíada, que contou com a participação de bolsistas de iniciação científica, teve como objetivo a busca por promover a utilização da programação de computadores e robótica livre no ensino fundamental e médio; a criação de novas formas de utilização dos recursos de informática das escolas; o despertar pelo interesse para as áreas de Física e Informática; a promoção de novos desafios aos estudantes; e a aproximação da Universidade com as redes públicas de ensino. Em 2016, participaram equipes de nove escolas, totalizando quarenta e cinco alunos, que tiveram por desafio construir e programar dispositivos robóticos para que cumprissem os objetivos das diferentes atividades realizadas ao longo do ano. Nessa Olimpíada, as equipes receberam todos os componentes eletrônicos (Arduino, motores, sensores, jumpers, protoboard, baterias, suportes, parafusos, rodas, etc) necessários para confeccionarem e programarem seus robôs, que deveriam completar três diferentes desafios, ao longo do ano.

A participação como colaborador em projetos de extensão diretamente relacionados à formação de professores é outro indicativo da aproximação do PPGECM com a educação básica. Nesse sentido, destaca-se a participação das professoras Alana Neto Zoch e Aline Locatelli como colaboradoras no projeto de extensão do curso de Química intitulado “Integração da Universidade com a Educação Básica”, cujo objetivo é realizar ações que possibilitem aproximar a universidades da realidade presente na educação básica nas disciplinas de Matemática, Química, Física e Língua Portuguesa. Além disso, o projeto busca oferecer apoio pedagógico e metodológico para professores e estudantes (deficientes ou não) da educação básica, visando potencializar os processos de ensino e de aprendizagem, por meio de ambientes de estudo. O projeto desenvolve atividades junto às escolas atuando em parceria com o município e com o estado. E, ainda, atua junto à Associação de Pais e Amigos dos Surdos (APAS).

No ano de 2016 os representantes do projeto Produção de Biocombustível com Resíduos de Óleo Usado na Região de Abrangência da UPF apresentaram uma peça teatral voltada à ludicidade intitulada “Teatro de sensibilização ambiental quanto ao descarte do óleo de cozinha usado”, para turmas de escolas da região de abrangência de Passo Fundo/RS.

Para o ano de 2016 foi incluído como projeto de extensão vinculado ao PPGECM, o projeto Astronomia na Educação Básica, coordenado pela professora Cleci T. Werner da Rosa. O projeto desenvolve ações junto às escolas de Passo Fundo e região voltadas a difundir a Astronomia e despertar a curiosidade científica dos jovens. Neste ano de 2016, um dos discentes ingressantes está desenvolvendo seu trabalho de mestrado neste tema (Astronomia no sexto ano do ensino fundamental - discente Bárbara Locatelli da Silva).

Outro aspecto que demonstra a relação existente entre o curso e a educação básica é a realização de palestras, conferências e minicursos para docentes desse nível de escolarização. Em 2016, os professores do PPGECM desenvolveram atividades dessa natureza em eventos isolados ou outros organizados pela UPF, a saber: o professor Adriano C. Teixeira ministrou nove palestras em eventos e instituições de ensino cujos temas envolviam tecnologia e educação e uma oficina sobre robótica educativa com Arduino em um evento de atualização de professores da Rede Pública de Ensino; Já no “8º Seminário de Atualização Pedagógica para Professores da Educação Básica”, promovido pela Universidade de Passo Fundo e destinado a professores da Educação Básica da região de abrangência do município de Passo Fundo/RS, professores e discentes do PPGECM proferiram os seguintes minicursos: Hipermídias no ensino de Física (Cleci T. Werner da Rosa e discente Helena da Glória Pieri); Robótica Educativa com Arduino (Marco A. S. Trentin e Adriano C. Teixeira); Trabalhando as propriedades físicas de compostos orgânicos por meio dos óleos essenciais (Alana Neto Zoch e os discentes Taciana Vendruscolo e Lucas Vanz); Repelentes naturais: uma proposta metodológica para o ensino de Química (Aline Locatelli e a discente Karine de Freitas dos Santos); Experimentar, errar e aprender: uma ferramenta computacional para o ensino de Matemática (Juliano Tonezer da Silva e a discente Paula Boito).

Outra ação objetivando a aproximação com a educação básica, cita-se a participação dos docentes do PPGECM na coordenação de dois eventos promovidos pela UPF e direcionados a professores da educação básica: o IV Seminário Nacional de Inclusão Digital (Senid) e a VI Jornada Nacional de Educação Matemática. O primeiro, coordenado pelos professores Adriano C. Teixeira e Marco A. S. Trentin, teve em 2016 o tema “A liberdade digital de aprender!”. Esse é um evento organizado pelo Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão Digital do curso de Ciência da Computação e conta com o apoio do PPGECM na linha de pesquisa Tecnologias de informação, comunicação e interação aplicadas ao ensino de Ciências e Matemática. Durante os três dias do evento, houve 287 inscritos no Senid, além de outros 254 participantes que se inscreveram com valor inferior ou gratuitamente e 300 pessoas não inscritas que passaram pelos espaços do evento. Esses participantes eram oriundos de 109 municípios e representaram 97 instituições de ensino. Dentre os palestrantes, estiveram presentes o prof. Dr. Nelson de Luca Pretto, da UFBA e a profa. Dra. Marie Jane Carvalho Soares, da UFRGS.

A VI Jornada de Educação Matemática e a XIX Jornada Regional de Educação Matemática, coordenadas pela professora Neiva Ignês Grando, docente do PPGECM, foram realizadas com apoio do Programa, na linha de pesquisa Fundamentos teórico-metodológicos para o ensino de Ciência e Matemática. O evento, com 569 inscritos, teve 412 participantes, a maioria professores da educação básica. Foram 124 trabalhos apresentados, onze minicursos ofertados, duas Conferências, quatro Palestras e um Painel. Dentre os professores palestrantes, registra-se a presença de professores: Dr. Marcelo de Carvalho Borba (UNESP/Rio Claro), Dr. Manoel Oriosvaldo de Moura (USP/SP), Dr. Saddo Ag Almouloud (PUC/SP), Dra. Elisabete Zardo Búrigo (UFRGS/RS), Dra. Mónica Ester Villarreal (UNC – Argentina), Dra. Marilena Bittar (UFMS/MS), Dr. Leo Akio Yokoyama (UFRJ – RJ), Dra. Marlise Geller (ULBRA/Canoas).

Outra ação a destacar no ano de 2016, envolvendo docentes e discentes do programa, foi a coordenação do professor Adriano C. Teixeira da “Escola de Hackers”, integrante do projeto de extensão Mutirão pela Inclusão Digital, desenvolvido em parceria com a Prefeitura Municipal de Passo Fundo, onde contemplou mais de 30 escolas e formou mais 700 alunos da rede pública municipal.

Também cabe destacar que no ano de 2016 quatro professores deste programa (Adriano C. Teixeira, Alana Zoch, Cleci T. Werner da Rosa e Marco A. S. Trentin) orientaram alunos do Ensino Médio, através do programa institucional PIBIC/Jr, da Universidade de Passo Fundo. Ainda, destacam-se as palestras para professores da educação básica nas escolas da rede pública estadual: Adriano C. Teixeira (Educação em Tempos de Conexão Abundância e Compartilhamento; O que o mundo espera de você? É melhor estar preparado!; Programe ou seja Programado: Programação de Computadores na Educação) e Dr. Luiz Eduardo S. Spalding (Segurança elétrica para o ensino de eletricidade na Escola Estadual Fagundes dos Reis). Ainda por conta da participação em escolas de educação básica, ressalta-se que a professora Cleci T. Werner da Rosa participou como banca de trabalhos de conclusão do ensino médio no Instituto Cardeal Arcoverde em Passo Fundo.

A internacionalização do PPGECM em 2016 ficou por conta das atividades desenvolvidas nos intercâmbios internacionais entre o programa e docentes/grupos de pesquisa de outras instituições.

Retomando o já mencionado no item Intercâmbios Internacionais, destacam-se as seguintes ações que caracterizam-se igualmente como de internacionalização do PPGECM: a) Atividades desenvolvidas no PPGECM com participação de professores de instituições estrangeiras: Dra. Ana Rita Lopes Mota, Universidade de Harvard (palestra e interlocução com o projeto Metacognição e a Educação Científica); Dr. Mario Pireddu, da Universidade de RomaTre/Itália (interlocução com o projeto Recursos tecnológicos aplicados ao ensino de Ciências e Matemática); Dr. Azzam Foad George Taktak, da Universidade de Liverpool e do Royal University Liverpool Hospital (interlocução com o projeto Recursos tecnológicos aplicados ao ensino de Ciências e Matemática); e Dr. Paulo Simeão de Oliveira Ferreira de Carvalho, da Universidade do Porto (participação na banca de qualificação do aluno Guilherme Dionisio). b) Criação de rede de cooperação entre grupos de pesquisa: Rede Internacional do Ensino de Ciências e Tecnologias Educacionais, com a participação de instituições nacionais (Instituto Federal Sul-riograndense de Pelotas) e internacionais (Universidade de Concepcion - Chile, Universidade de Léon - Espanha, Escola Superior de Bragança - Portugual, Universidade Católica “Nuestra Señora de la Asunción” - Paraguai, Universidade Complutense de Madrid - Espanha). c) Participação em ações envolvendo projetos de pesquisa: atividades de pesquisa envolvendo o projeto Metacognição na Educação Científica e o Grupo de Investigación sobre el Aprendizaje de las Ciencias (Univerisdade de Alcalá de Henares, Universidade de Valência e Universidade de Coimbra).

No mês de setembro de 2016 o professor Adriano C. Teixeira, após participar do IV Congresso Internacional TIC e Educação – ticEDUCA2016 (Lisboa/Portugal), visitou instituições europeias de ensino e pesquisa a fim de identificar possíveis colaborações acadêmico-científicas na área de informática educativa e inclusão digital. Dentre as possibilidades que buscou, está a mobilidade de docentes e discentes, a composição de consórcios de grupos e laboratórios de pesquisa e, por fim, a participação em rede mundial de makerspaces - espaços de fabricação digital tradicional onde se encontram instaladas as mais variadas máquinas de produção. O professor manteve contato com os professores pesquisadores Óscar Emanuel Chaves Mealha e Fernando Manuel dos Santos Ramos, do Doutorado em Informação e Comunicação em Conteúdos Digitais. Ele também esteve reunido com os professores pesquisadores Antônio Augusto de Freitas Gonçalves Moreira e Maria João de Miranda Nazaré Moreira, do Doutorado em Educação e Multimídia da Universidade de Aveiro; com o vice-reitor do Campus Virtual da Universidade Aberta de Lisboa, professor Dr. Vitor Jorge Ramos Rocio, e com a professora Dra. Daniela Melarré Barros, coordenadora do Departamento de Educação e Ensino a Distância. O professor também visitou a IADE - Universidade Criativa, onde foi recebido pela professora Emilia Duarte, vice-reitora de Graduação da Instituição. Na Universidade de Lisboa, o professor foi recebido pela professora Dra. Neuza Sofia Guerreiro Pedro, coordenadora do Mestrado em Educação e Tecnologias Digitais e criadora do Future Teacher E-ducation Lab, conhecido como sala de aula do futuro. Na Itália, visitou o FabLab Lazi e participou de um encontro com os pesquisadores Roberto Maragliano e Mario Pireddu, ambos da Universidade de Roma Tre.

No ano de 2016 deu-se prosseguimento ao convênio com a Universidade Pedagógica de Moçambique iniciado no ano de 2015. Atualmente o convênio já foi assinado pela UPF e encontra-se em tramitação interna na Universidade de Moçambique. Além desse, os convênios com as Universidade de Lisboa – Portugal e com a Universidade Roma Dois – Tor Vergata – Itália, estão igualmente em apreciação pelas instituições parceiras.