Intercâmbios e inserção social

INSERÇÃO SOCIAL


A inserção social do PPGCTA se dá através de inúmeras atividades. 

Gerência técnica em laboratórios credenciados 
Os docentes do PPGCTA estão inseridos na gerência técnica de laboratórios da Instituição, desenvolvem atividades diretamente relacionadas com a comunidade regional e a interface com as agências reguladoras, principalmente o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), devido à existência de laboratórios credenciados.

São responsáveis técnicos por laboratórios do Centro de Pesquisa em Alimentação – CEPA, os seguintes docentes: 
- Luiz Carlos Gutkoski: Gerente Técnico do Laboratório de Cereais do Cepa, credenciado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, reconhecido na Rede Metrológica e acreditado junto a Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE/Inmetro) para fins de controle de qualidade de trigo em grãos, emissão de laudos, relatórios técnicos e certificado de análises, conforme processo 21000.008284/2008-18.
- Luciane Maria Colla: - Gerente Técnico do Laboratório de Sensorial do Cepa, credenciado junto ao Ministério da Saúde/ANVISA (Reblas Analítico – Rede Brasileira de Laboratórios Analíticos em Saúde), para fins de controle de qualidade de alimentos, emissão de laudos, relatórios técnicos e certificado de análises. O laboratório obedece à norma NBR ISO/IEC 17025, que assegura a competência na realização dos ensaios aos quais se propõe. A norma permite a rastreabilidade de um ensaio, dando garantia, proteção e respaldo do resultado analítico. Com a habilitação, o laboratório fica capacitado a prestar serviços na sua área de atuação para a ANVISA ou a outros órgãos públicos e particulares que exijam certificação.
- Laura Beatriz Rodrigues: Gerente técnica do Laboratório de Microbiologia de Alimentos do CEPA e responsável técnica pelo laboratório de Microbiologia do Hospital Veterinário da UPF.
- Maria Tereza Friedrich: gerente técnica do Laboratório de Cromatografia do CEPA. 
Outras atividades de inserção social realizadas pelos discentes são atividades de ensino no Curso Técnico em Alimentos da UPF (Prof. Luiz Carlos Gutkoski), Cursos para o Setor Produtivo, realizados pelos professores Luiz Carlos Gutkoski (área de Cereais), Vandré Barbosa Brião (área de laticínios), Luciane Maria Colla e Christian Oliveira Reinehr (Rotulagem de Alimentos Funcionais). 
Ainda realiza-se a participação em feiras como a Expodireto e a Agrotecnoleite, e em programas de rádio e televisão com o objetivo de divulgar o programa de Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos e as pesquisas realizadas pelos docentes do programa.
Os docentes têm participado da realização de palestras na Universidade e em outras instituições.

A própria denominação do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos nos remete ao desenvolvimento tecnológico. Este tópico está explícito também na linha de pesquisa PROCESSOS BIOTECNOLÓGICOS E NÃO CONVENCIONAIS NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS E INGREDIENTES, em que o projeto Desenvolvimento de produtos e processos para a indústria de alimentos trabalha este tema.

As ações planejadas para o desenvolvimento tecnológico estão inseridas dentro de um grande contexto, relacionado ao Polo Tecnológico do Planalto Médio do RS e ao Parque Tecnológico regional (UPF Parque), ambos sediados na UPF e que possuem áreas prioritárias, e entre elas, “alimentos”.
As ações voltadas para que as pesquisas do curso cheguem até a sociedade são evidenciadas em alguns tópicos:

a) Professores com Bolsa Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico: os professores do curso Marcelo Hemkemeier e Vandré Brião aprovaram em 2016 a PQDT do CNPq. Essa modalidade de bolsas é concedida a pesquisadores em que suas atividades sejam voltadas não somente para a ciência, mas para sua integração com o setor produtivo. Os professores Marcelo e Vandré possuem trabalhos de graduação e de mestrado desenvolvidos em parceria com empresas, integrando a ciência e o desenvolvimento tecnológico. 

b) Aprovação e execução de projetos inseridos no Polo Tecnológico e no Parque Tecnológico: vários projetos do PPGCTA tem sido desenvolvidos no âmbito destes dois cenários. Ambos ambientes de execução dos projetos exigem que os mesmos tenham a participação de empresas e que hajam ações de difusão do conhecimento gerado. Essas ações passam por cursos, palestras e incubação de empresas interessadas nos processos e produtos desenvolvidos. Três grandes projetos foram desenvolvidos (ou encontram-se em desenvolvimento, a saber:

i) Valoração de soro de leite através de processos de separação por membranas e bioprocessos. 2014-2016. Com um valor total de R$ 466.985,56, financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico do Rio Grande do Sul, foi desenvolvido em parceria com a Laticínios Relat em quatro dissertações de mestrado do PPGCTA. Houveram ações de visitas à empresas, curso teórico-prático com técnicos de empresas e distribuição de cartilha com os procedimentos para obtenção dos produtos desenvolvidos.

ii) PROJETO NUTRALI: O projeto Nutra-Ali buscou recursos para equipar a Central Multiusuários e mais dois laboratórios do Parque Tecnológico da UPF. A partir destes laboratórios, gerou-se infra-estrutura para uso do PPGCTA, bem como para interagirmos com a sociedade, na forma de pequenas empresas que buscam o desenvolvimento de processos e produtos na área de alimentos funcionais e nutracêuticos. O projeto denomina-se Laboratório de Desenvolvimento de Alimentos Funcionais e Nutracêuticos. Neste interim, já desenvolve-se apoia a 4 empresas incubadas e já ofereceu-se um Curso de Rotulagem de Alimentos Funcionais e Nutracêuticos para o setor acadêmico e para a comunidade em geral (pequenas empresas nos setores alimentício e farmacêutico).  

iii) Erva mate como componente funcional no desenvolvimento de processos e produtos alimentares. 2016-atual. Com um valor total de R$ 976.000,00, financiado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Tecnológico do Rio Grande do Sul,o projeto está em implementação e já possui uma empresa incubada (empresa Inovamate).

c)Depósito de patentes: desenvolvimento tecnológico está estritamente relacionado à inovação. Nesse sentido, as dissertações do PPGCTA também buscam inovação tecnológica, e o depósito de patentes tem sido uma das metas que buscamos atingir dentro de nosso planejamento estratégico. No quadriênio 2013-2016 foram depositadas quatro patentes por professores do PPGCTA, a saber:

i) ZEN, C.K ; COLLA, LUCIANE M. . COMPOSIÇÃO A BASE DE Spirulina platensis PARA ENRIQUECIMENTO PROTEICO DE PALHA DE SOJA E FENO E SEU PROCESSO DE OBTENÇÃO. 2016, Brasil. Número do registro: BR10201601344.

ii) BRIÃO, Vandré Barbosa. Processo de produção de leite condensado com baixo teor de lactose. 2013, Brasil. Número do registro: BR1020130011002. 

iii) LUCHESE, C. ; TREIS, A. P. ; Brião, Vandré Barbosa. Processo de obtenção de hidrolisado proteico de carne de frango com baixo teor de sódio e hidrolisado proteico de carne de frango com baixo teor de sódio resultante. 2014, Brasil. Número do registro: BR10201401807.

iv) BRIÃO, V.B.; RODRIGUES, V.M.; ENDRES, C.M. SEGUENKA, B. Bebida láctea com baixo teor de lactose adicionada com produtos da ultrafiltração de soro de leite e seu processo de obtenção. 2016. Número do registro: BR1020160245303.

v) COLLA, L.M.; CEOLAN, J.F.; CARDOSO, L.G., BAREA, J.L.; PAZZE, R. Cremes vegetais estabilizados com bioemulsificantes microbianos. 2017, Brasil. Patente: Privilégio de Inovação: Número de registro: BR1020170163, título: “Cremes vegetais estabilizados com bioemulsificantes microbianos”, Instituição de registro: INPI – Instituto Nacional da Propriedade Industrial, Depósito: 28/07/2017.

d) Parcerias com empresas: uma ação importante para a interação com o setor produtivo é o desenvolvimento de projetos e pesquisas em parcerias com empresas. Algumas dissertações do PPGCTA são desenvolvidas deste modo com pequenas e grandes empresas. Duas dissertações foram concluídas  (alunas Bruna Seguenka e Creciana Maria Endres) com a parceria da Laticínios Relat, há uma dissertação em conclusão com a Agropecuária Schio de Maçãs (aluna Vanessa Carpes) e duas dissertações em desenvolvimento com as empresas Laticínios Boavistense (aluna Juliane Mosmann) e Laticínios Relat.

Impacto regional: científico, tecnológico e econômico
Passo Fundo é o centro de uma mesorregião, abrangendo mais de setenta municípios e mais de 800000 habitantes. A economia é predominantemente centrada no agronegócio, com forte participação da cadeia produtiva de leite, grãos, aves e suínos. Temos a convicção de que as pesquisas resultam não somente em publicações científicas importantes, mas também impactam de forma positiva na tomada de decisões de gerenciamento da produção de matérias primas agropecuárias, o processamento e a transformação em produtos alimentícios, com os respectivos cuidados com o ambiente, a qualidade tecnológica e segurança alimentar. 

Algumas pesquisas são planejadas para o desenvolvimento tecnológico, utilizando a ciência para explicar os fenômenos observados. Os resultados obtidos, uma vez publicados na forma de artigos, patentes ou mesmo como material didático, poderão fomentar pesquisas similares em outras regiões onde a agroindústria representa um aspecto importante da economia local. Além disso, e com a continuidade dos projetos, tem-se como meta estabelecer e consolidar grupos de pesquisa como referência para o programa, com temas importantes no cenário científico internacional. 

Cooperação com o setor público e privado
Os projetos desenvolvidos ocorrem em cooperação com outras IES, com apoio de agências governamentais de fomento à pesquisa, e com o setor produtivo. Nesse quesito, como indicado acima, projetos são desenvolvidos dentro das agroindústrias ou com a colaboração de empresas e instituições, o que caracteriza a parceria com o setor produtivo.

Interface com a educação básica
O artigo 21 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9394/96) cita que a educação básica é formada pela educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. O PPGCTA tem realizado ações objetivando a interação com a sociedade e a formação crítica de futuros pesquisadores na área de alimentos.

As ações que realizam essa interface são quatro:
a) Participação em feiras, de feiras, interagindo com estudantes do ensino fundamental e do ensino médio; 
b) Participação de professores no ensino técnico;
c) Iniciação científica para alunos do ensino médio.


INTERCÂMBIOS


Os docentes do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos (PPGCTA) da Universidade de Passo Fundo mantêm convênios e parcerias com IES nacionais e internacionais. As principais cooperações nacionais, formais e informais, estão listadas por docente.

NACIONAIS

LUCIANE MARIA COLLA
Instituições participantes: Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Etanol (CTBE), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UFTPR).
Projeto: Planta piloto de produção de microalgas e uso da biomassa em aquicultura, na produção de bioetanol e como antioxidante.
Período: 2014 a 2017.

O projeto visa à produção de microalgas em fotobiorreatores e estudo do potencial biotecnológico de aplicação da biomassa na alimentação animal, produção de nutracêuticos e bioetanol. Através da interação com as instituições listadas, tem sido possível a interação através de bancas de dissertação: defesa de Anne Luize Lupatini (orientação de Eliane Colla) na UTFPR em 2016 e participação da Dra. Jaciane Ienczak do CTBE-Campinas na banca de dissertação de Ellen Francine Rodrigues (orientação de Luciane Maria Colla) do PPGCTA, na UPF, também em 2016; participação na banca de doutorado de Bárbara Catarina Bastos de Freitas, orientada de Jorge Alberto Vieira Costa na FURG em 2016.
Financiamento: CNPq (auxílio financeiro).

LUIZ CARLOS GUTKOSKI
IES: Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).
Projeto: Adição de beta-glicana de aveia em farinhas de arroz e trigo na produção de pães e massas alimentícias
Período: 2009-2014.
O projeto visa estudar as características tecnológicas das farinhas de arroz e trigo para a produção pães e massas alimentícias com adição de b-glicana de aveia (0%, 1%, 3% e 5%).
IES: Universidade Federal de Pelotas (UFPEL).
Projeto: Efeito da acetilação e oxidação sobre as propriedades da beta-glicana.
Período: 2011 a 2015
O projeto objetiva avaliar os efeitos dos tratamentos químicos de acetilação e oxidação nas propriedades reológicas e fisiológicas da beta-glicana extraída da aveia.

TELMA ELITA BERTOLIN
IES: Universidade Federal do Rio Grande (FURG).
Projeto: Avaliação in vitro de alimentos funcionais desenvolvidos a partir de Spirulina com enfoque na proteção cutânea.
Período: 2014 a 2018.
Trata-se de um projeto de Doutorado da aluna Gisele Barbiere do Programa de Pós Graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). O projeto de pesquisa é orientado pelo professor Jorge Alberto Vieira Costa e coorientado pela professora Telma Elita Bertolin. O projeto visa desenvolver alimentos funcionais a partir da biomassa de Spirulina e avaliar suas potencialidades na proteção cutânea por meio de ensaios in vitro. 
Financiamento: Projeto Universal CNPq e Bolsa CAPES.
IES: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).
Projeto: Desenvolvimento de bebida láctea para idosos.
Período: 2014 a 2018.
Trata-se de um projeto de Doutorado da aluna Cintia Guarienti do Programa de Pós-Graduação em Ciências de Alimentos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). O projeto de pesquisa é orientado pela professora Neila Richards e coorientado pela professora Telma Elita Bertolin. O projeto visa desenvolver alimentos funcionais lácteos a partir da biomassa de Spirulina e avaliar suas potencialidades na longevidade de diferentes modelos experimentais. 
Financiamento: Projeto Universal CNPq e Bolsa CAPES.

VERA MARIA RODRIGUES
IES: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS).
Projeto: Extração e caracterização de produtos naturais utilizando fluidos pressurizados.
Período: 2015-2017.
O projeto visa extrair e caracterizar diferentes compostos químicos oriundos de matérias-primas vegetais que tenham atividade antioxidante e antimicrobiana.

INTERCÂMBIOS INTERNACIONAIS
O Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos (PPGCTA) da Universidade de Passo Fundo também objetiva oportunizar aos docentes e discentes a realização de estágios e treinamentos internacionais. O estabelecimento de contatos internacionais na forma de convênios, intercâmbios, estágios de pós-doutoramento, dentre outros, com instituições de outros países, traz consigo a possibilidade de crescimento tanto para o PPGCTA quanto para os seus participantes.

PÓS-DOUTORAMENTO DE PROFESSORES DO PPGCTA

LUIZ CARLOS GUTKOSKI: período de julho de 2016 a fevereiro de 2017,  Universidade de Valladolid (Espanha). O professor obteve apoio integral da UPF e auxílio da Capes, através do processo BEX: 5778/15-8, sendo selecionada a Universidade de Valladolid, junto a Escola Técnica Superior de Engenharias Agrárias, Campus de Palência, Espanha. O pós-doutoramento teve como Supervisor o Prof. Manuel Gómez Pllarés da área de tecnologia de cereais, sendo desenvolvido o trabalho: Estudo da formação de massa elaborada com farinha de trigo de grão inteiro.

TELMA ELITA BERTOLIN: Durante 2014, no Instituto de Medicina Molecular (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa) em Portugal. O estágio recebeu apoio integral da UPF e auxílio da CAPES dentro do Programa Estágio Sênior no Exterior, durante o período de julho de 2013 a julho de 2014. O estágio pós-doutoral foi realizado na área de Bioquímica e Biologia Molecular. Durante o estágio foi desenvolvido o projeto: “Ficocianina em levedura modificada para a expressão da Sir2 e da alfa-sinucleína: implicações na Doença de Parkinson”. O trabalho objetivou verificar a capacidade protetora da ficocianina na toxicidade da alfa-sinucleína e na delação do gene SIR2. Para tal, realizou análises de estudo de viabilidade celular por citometria de fluxo, oligomerização da aSyn por microscopia, estresse oxidativo por citometria de fluxo.

Em pós-doutoramento: Luciana Ruschel dos Santos, Espanha, na área de Ciência e Tecnologia de Carnes)
 
CONVÊNIOS INTERNACIONAIS ESTRUTURADOS
A existência de convênios internacionais significa para o PPGCTA a inserção dos seus docentes e discentes no cenário internacional. Destacam-se os seguintes convênios:

INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDAD AUTÔNOMA DE COAHUILA (MÉXICO)
Em 2015 a professora Luciane Maria Colla iniciou contato com o professor Dr. Héctor Arturo Ruiz Leza, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da Universidad Autônoma de Coahuila, México, para atuarem em conjunto na temática de Biorrefinarias, que é um dos temas abordados em uma das linhas de pesquisa do PPGCTA. O convênio entre as instituições já existia, conforme Lei Orgânica publicada no Diário Oficial do Estado em 4 de janeiro de 1991, mediante o Decreto n. 329. A partir deste contato inicial, a professora Luciane Maria Colla foi convidada a ser orientadora externa do projeto de tese (dissertação de mestrado) intitulado “Process development for the production of third generation bioethanol from marine biomass”, do estudante Jesús Velazquez Lucio, orientado pelo Dr. Héctor Arturo Ruiz Leza. Em função deste acordo, o estudante realizou estágio de mestrado no Laboratório de Fermentações da Universidade de Passo Fundo, no período de 5 de outubro de 2016 a 22 de dezembro de 2016, tendo realizado atividades de cultivo de microalgas e sacarificação de biomassa algal com enzimas amilolíticas.

INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DE LISBOA (PORTUGAL)
A professora Telma Elita Bertolin, em decorrência da realização de seu estágio pós-doutoral na Universidade de Lisboa, possui contatos e continuidade de seus trabalhos com os pesquisadores Tiago Fleming Outeiro - PhD - Department of Neuro Degeneration and Restorative Research Center for Nanoscale Microscopy and Molecular Physiology of the Brain - University Medical Center Goettingen, Sandra Tenreiro - PhD do Instituto de Medicina Molecular – IMM/UL e Claudia Nunes dos Santos - PhD do Instituto de Tecnologia Química e Biológica – ITQB – Universidade de Lisboa - UL. Essa parceria está sendo mantida através de diálogos de interesse científico e através da elaboração de publicações. Além disso, o professor Jorge Alberto Vieira Costa mantém a continuidade dos trabalhos relativos ao projeto de pesquisa: “Estudo metabólico em microalgas e otimização das condições de cultivo para a produção de biodiesel”, sob sua coordenação no Brasil e da professora Maria da Gloria Calado Ingles Esquível em Portugal. Este trabalho tem por objetivo o estabelecimento de uma rede de cooperação Portugal-Brasil para o uso de microalgas para a produção de biocombustíveis.

INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDAD DE LA REPÚBLICA (URUGUAI)
O professor Jorge Alberto Vieira Costa aprovou em 2014 o projeto de pesquisa: “Obtenção de lipídios por microalgas e avaliação da eficiência de conversão em biodiesel utilizando diferentes tecnologias”. Este projeto visa o estabelecimento de uma rede de cooperação Uruguai-Brasil para o estudo da viabilidade técnica da produção de biodiesel a partir de microalgas. O projeto tem coordenação geral no Brasil do professor Jorge Alberto Vieira Costa e no Uruguai do professor Iván Jachmanián Alpuy, Doutor em Química/UDELAR.

INSTITUIÇÕES: UNIVERSIDAD DE LA REPÚBLICA (URUGUAI) E UNIVERSIDAD NACIONAL DE LA PLATA (ARGENTINA)
A professora Telma Elita Bertolin possui um projeto intitulado “Ilex paraguariensis como componente funcional no desenvolvimento de processos e produtos alimentares”, que visa à inclusão de cadeias produtivas e de pequenos agricultores de erva-mate da região de abrangência da UPF e do âmbito da UNASUL, com as parceiras Udelar/Uruguai (Professor Pesquisador Nelson Bracesco, Departamento de Biofísica da Faculdade de Medicina) e Universidad Nacional de la Plata/Argentina (Professor Pesquisador Guillermo Schinella, Facultad de Ciencias Médicas). Para tal, extratos de erva-mate serão obtidos por processo de infusão, micro encapsulados por spray dryer e por spray chiller e utilizados para o desenvolvimento de um produto de panificação e uma bebida láctea. As inovações propostas nesse projeto poderão promover humanização e expertise do uso ampliado da erva-mate, estimular o consumidor para o uso de alimentos saudáveis e funcionais, contribuir para a promoção da saúde e para o controle e prevenção de agravos decorrentes da má alimentação e difundir e ampliar essas ações.

INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO MINHO (PORTUGAL)
Em final de 2015 foi assinado o convênio específico de cooperação para o desenvolvimento de pesquisas científicas e intercâmbio entre a Universidade de Passo Fundo e a Universidade do Minho (Portugal). O acordo, intermediado pelas professoras Laura Beatriz Rodrigues e Luciana Ruschel dos Santos, prevê o desenvolvimento de projetos de pesquisa científica e educativa de interesse comum, além de possibilitar o intercâmbio dos alunos dos Programas de Pós-Graduação em Bioexperimentação e em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UPF) e do Centro de Engenharia Biológica (Uminho). O enfoque do convênio é relacionado aos biofilmes microbianos em diferentes áreas de aplicação, como saúde, alimentos e ambiente.