Notícias UPF

“A extensão como experiência de aprendizagem” em debate no Seminário Integrador

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande e Milena Mezalira/Nexjor

A Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade de Passo Fundo (UPF) realiza, durante esta quinta-feira, 8 de março, o V Seminário Integrador da Extensão. A programação, repleta de atividades, teve início no auditório da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Feac), Campus I, onde estiveram reunidos acadêmicos bolsistas Paidex, voluntários, professores e funcionários extensionistas, além de representantes de entidades parceiras.

Em 2018, o tema do Seminário é “A extensão como experiência de aprendizagem”. Segundo a vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários Bernadete Maria Dalmolin, a temática mostra o quanto a extensão é mobilizadora de aprendizagens. “Ela faz com que o aluno, o docente e o funcionário se coloquem diante do mundo real, que se apresenta com muitas outras variáveis, que vão além daquelas que normalmente estudamos na teoria. Além disso, ela mobiliza os conhecimentos, instiga novas perguntas, faz com que o nosso estudante busque crescimento na experiência dos outros, na interdisciplinaridade, e, sobretudo, na experiência desses grupos, dessas pessoas que trazem um saber, uma aprendizagem e uma cultura que precisa ser compreendida, dialogada. A partir da experiência, temos os elementos essenciais para pensarmos a aprendizagem”, comenta.

Ainda, conforme Bernadete, o encontro, em especial, foi preparado para os acadêmicos e professores iniciantes na extensão. “A atividade faz parte de um programa de formação no qual procuramos oferecer subsídios básicos para o trabalho de campo, da extensão”, disse.

A extensão universitária como diferencial
O professor Marcio Taschetto, coordenador da Divisão de Extensão, destacou a dedicação e o empenho da Universidade de Passo Fundo para com a extensão. “Enquanto instituição, saímos na frente. Estamos construindo esse trabalho há quase dez anos, com uma intensidade e uma qualidade forte. Isso tem feito a diferença nos cursos, na forma como a UPF vem organizando curricularmente suas propostas formativas, sendo a extensão uma grande estratégia para isso, que pensa um novo tipo de ensino, mais significativo e mais conectado com os grandes desafios da nossa sociedade”, relata.

Em sua opinião, o evento tornou-se uma tradição na UPF. “É possível dizer que ele é a festa de abertura das atividades da extensão no ano. É um momento em que recebemos os bolsistas, os voluntários, os estudantes que têm interesse em conhecer mais o que é a extensão universitária, além dos professores, dos funcionários e da comunidade em geral – representada por instituições parceiras –, para que todos possam contribuir com esse dia, que é um dia de partilha de experiências”, completa Taschetto.
 
Programação intensa
As diversas ações que integram o Seminário Integrador acontecem no decorrer do dia. Pela manhã, os participantes estiveram presentes em um café da partilha. Eles também tiveram a oportunidade de trocar livros por meio do projeto Bookcrossing, ligado ao curso de Letras, e de trocar roupas, calçados e acessórios no Eco Brechó, desenvolvido pelo curso de Design de Moda. As instalações “A minha, a tua, as nossas Marias” e “Vista essa ideia sim”, organizadas pelo curso de Artes Visuais e que buscam refletir sobre o papel da mulher, fazem parte das atividades do evento, assim como o trabalho do Núcleo de Estudos em Agroecologia (NEA) da Instituição, que estava exposto.

O Seminário contou com uma intervenção cultural de alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Guaracy Barroso Marinho, de Passo Fundo, onde o projeto Observatório da Juventude e o curso de Serviço Social desenvolvem atividades. Contou, também, com a presença de integrantes do projeto de extensão “Projur Mulher e Diversidade”, do curso de Direito, que socializaram relatos sobre experiências vividas durante os trabalhos. Além disso, uma sensibilização voltada à destinação correta dos resíduos foi realizada com o público.

No turno da tarde, ocorrem as salas temáticas. O encerramento será composto por um momento cultural, com a palestra musicada: Sexo, drogas e rock’n roll.