Notícias UPF

Projeto de extensão contribui para o desenvolvimento do setor moveleiro da região

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Jéssica França

Universidade de Passo Fundo promove interação entre estudantes e indústrias por meio de projeto de extensão do curso superior de tecnologia em Design de Produto

O curso superior de tecnologia (CST) em Design de Produto da Faculdade de Engenharia e Arquitetura da Universidade de Passo Fundo (Fear/UPF) promove, desde o início do ano, o projeto de extensão “Design Colaborativo no setor moveleiro regional”. Desenvolvido na cidade de Lagoa Vermelha, segundo polo moveleiro do estado, o projeto oportuniza que acadêmicos da Universidade vivenciem na prática situações de mercado, proporcionando um conhecimento mais amplo da área. O design colaborativo é um processo de criação de uma estrutura organizacional no qual duas ou mais unidades de negócios trabalham juntas em direção a objetivos comuns. Com isso, o design colaborativo contribui para o desenvolvimento de inovação das indústrias moveleiras seriadas. 

O CST em Design de Produto tem duração de dois anos e meio e é promovido desde o ano de 2011 na UPF, capacitando estudantes para atuação no mercado de trabalho. Conforme o coordenador do curso e do projeto de extensão, professor Me. Marcos Antônio Leite Frandoloso, as atividades vêm sendo desenvolvidas primeiramente com visitas técnicas junto à empresa Kind Móveis. “Existem cerca de oitenta empresas do setor na região de Lagoa Vermelha. Por meio do projeto, recebemos recursos do governo do estado e realizamos atividades nos últimos três anos. Mas novas demandas foram aparecendo, e, por esse motivo estamos promovendo esse projeto de extensão”, explicou. 

A colaboração entre a Universidade e a indústria moveleira está sendo realizada por meio do Núcleo de Design (Nudo) e de projetos como o Centro Vocacional de Inovação Tecnológica para a Indústria Moveleira. Segundo Frandoloso, a troca de experiências permite aos envolvidos visualizar possibilidades de inovação nos mais diferentes segmentos, tais como o design, a produção, a gestão e a marca, entre outros. 

Aprendizado na prática
O projeto proporciona que os estudantes conheçam todo o processo produtivo de uma indústria moveleira, desde o desenvolvimento até a comercialização do produto, o que possibilita que eles ampliem os conhecimentos com os quais tiveram contato em sala de aula.  “Participar dessa ação vem sendo muito importante na conciliação entre teoria e prática, que é algo essencial para a formação. O projeto em si é de extrema importância, pois a região de Lagoa Vermelha conta com um enorme potencial produtivo, capaz de gerar emprego, renda e qualidade de vida para a população. Contudo, esse potencial não vem sendo explorado ao máximo, ficando à sombra de outros polos do estado. Então, esse trabalho tem como proposta auxiliar a indústria nesse amadurecimento, unindo a Universidade e a indústria em prol da comunidade”, disse o acadêmico do curso de Design de Produto, Lucas Stein da Silva. 

Inovação e tecnologia 
Atualmente, o projeto está na fase de diagnóstico, e nele atuam alunos que procedem ao levantamento e ao mapeamento de dados, tanto com o propósito de interagir no ajuste da produção quanto com o de contribuir com o desenvolvimento de produtos. “Existem inúmeras formas de inovar. A inovação não é restrita apenas ao resultado de um produto final, ela é ligada a um novo sistema de organização, de gerenciamento de trabalho e de produção. Atua em todo processo de uma indústria, e, para isso necessita da colaboração de pessoas”, destacou Frandoloso.

Além do diagnóstico, será realizado um levantamento das inovações propostas e praticadas ao longo dessa atividade de extensão, seja por meio de gráficos comparativos, novos produtos, novos métodos de trabalho ou simplesmente por meio de um questionário para avaliar a percepção das empresas e da comunidade envolvida. Conforme o professor Frandoloso, com isso, serão propostas atividades e processos de inovação a serem implementados nos setores da empresa, integrando equipes de forma participativa e reflexiva. “O projeto oportuniza a prática aos alunos e representa melhoria na qualidade de vida dos funcionários, por meio de um ambiente de criação e produção aberto, criativo e colaborativo”, finalizou, também comentando que acadêmicos dos cursos de Engenharia de Produção e Design Gráfico também participam das atividades, o que efetiva a interdisciplinaridade na extensão universitária.