Notícias UPF

Palestra sobre educação financeira será realizada na Faculdade de Odontologia

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Reprodução/UPF

O projeto de extensão “Educação financeira, endividamento e gestão das finanças pessoais” e o curso de Odontologia promovem, na próxima sexta-feira, dia 18 de maio, a palestra com o tema “Educação financeira para alunos universitários: me formei e agora?". A atividade será realizada às 9h, no mini-auditório da Faculdade de Odontologia (FO) da Universidade de Passo Fundo (UPF). A temática será abordada pelo economista e sociólogo professor Dr. Ginez Leopoldo Rodrigues de Campos. O docente, que também é educador financeiro e consultor em finanças pessoais, coordena o projeto de extensão em educação financeira.

A atividade visa orientar os alunos sobre a importância da gestão das finanças pessoais (pessoa física) e também do planejamento das finanças do consultório clínico (pessoa jurídica). O evento acontece em parceria com a disciplina "Orientação Profissional", do curso de Odontologia, que é ministrada pelo professor Paulo Funk. A ideia da ação pedagógica conjunta é fortalecer a proposta de curricularização das ações extensionistas, envolvendo a área das ciências sociais do IFCH e o curso de Odontologia da FO. 

O projeto
O projeto de extensão em educação financeira e endividamento e gestão das finanças pessoas, que é vinculado a vice-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários e ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), está articulado a uma política pública nacional, que é a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF), criada por meio do Decreto Presidencial nº 7.397, de dezembro de 2010. A ENEF consiste em uma política pública que reconhece a educação financeira como ferramenta de inclusão social e de melhoria da qualidade de vida do cidadão. A mesma visa consolidar e aperfeiçoar a proposta pedagógica da educação financeira como uma importante ferramenta educacional, no sentido de garantir qualidade de vida as pessoas vulnerabilizadas pelo endividamento e pela inadimplência, fortalecendo, desta forma, a cidadania financeira, e promovendo a inclusão social.