Notícias UPF

Exposições de acadêmicos de Artes Visuais ocupam diferentes espaços da UPF

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casangrande

Exposições podem ser conferidas na Faculdade de Artes e Comunicação, no Centro de Convivência e na Biblioteca Central

Até o dia 15 de dezembro, a comunidade acadêmica e a comunidade em geral podem conferir cinco exposições de acadêmicos do curso de Artes Visuais Bacharelado da Universidade de Passo Fundo (UPF) que ocupam diferentes espaços do Campus I. As exposições são resultado de um trabalho proposto durante a disciplina de Curadoria, ministrada pela professora Mariane Loch Sbeghen, em que cada acadêmico deveria ser responsável pela concepção e pelo desenvolvimento de todas as etapas de curadoria de uma exposição. O resultado do trabalho dos alunos pode ser conferido na Faculdade de Artes e Comunicação (FAC), no Centro de Convivência e na Biblioteca Central da UPF. 

Saiba mais sobre cada uma das exposições: 

Rond de Jambe
No Centro de Convivência, está a exposição “Rond de Jambe”, composta por fotografias de Celina Tieppo, que também é a curadora. “Ronds de Jambe” se refere ao balé e são os movimentos da perna em círculo, também utilizados como exercícios na barra, no centro e em adágio. Na exposição, se tornaram experimentos através da lente objetiva, em preto e branco, que retrata a bailarina equilibrando-se sob diferentes ângulos. 

Recortes poéticos
Na entrada da FAC, está a exposição “Recortes poéticos”, parte de uma série de fotografias produzidas por Rozana Nunes, curadora, durante o processo de formação do curso de Artes Visuais e que revelam pequenos resíduos do passado, remetendo aos retratos da infância. São retratos para fazer sentir. 

 

Cada frame um desenho
No saguão da FAC, a exposição “Cada frame um desenho” parte do amor pelo cinema e pela arte. Os desenhos de Maicon Luiz dos Santos, também curador, nascem da proposta do uso de frames do filme “2001 – Uma odisseia no espaço”, do diretor Stanley Kubrick. Cada um dos desenhos, feitos de carvão, grafite e spray, tem uma função simbólica, fazendo referência ao filme. 

(Des)construção da imagem
A Sala de Arte Laura Borges Felizardo, também na FAC, recebeu a exposição coletiva “(Des)construção da imagem” que reúne uma série de obras dos alunos do curso a partir da manipulação de fotografias e experimentação de técnicas de fotomontagem e dupla exposição. São seis emergentes artistas que apresentam uma proposta compositiva de acordo com a possibilidade que tiveram de explorar e experimentar a técnica ao longo de sua formação. As obras e a curadoria são dos acadêmicos Alessandra Garbrecht, Fernando Stahler, Mariah Teixeira, Murilo Silveira da Silva, Rozana Nunes e Vagner de Freitas Pires, o Fill. 


A cor do tempo
Já na Biblioteca Central, a comunidade pode conferir a exposição “A cor do tempo”, o fragmento de uma série de fotografias produzidas pela acadêmica Daiane Rigo ao longo de dois anos, um trabalho que está em permanente produção. São fotografias da própria família da artista e curadora da exposição, bem como fotografias de pessoas que encontrou em sua breve jornada. São retratos espontâneos que se aproximam com o momento fotografado, que buscam expor a fragilidade, a singularidade do humano. Fotografias que pretendem revelar a proximidade.