stickyimage

Inscrições abertas para estágio no NEXJOR

Saiba Mais Fechar
http://www.upf.br/nexjor/wp-content/uploads/2014/03/banner-duda.jpghttp://www.upf.br/nexjor/wp-content/uploads/2013/09/ban-01.png

Energias renováveis: o sol e a geração de energia limpa

Foto: http://www.businessreviewbrasil.com.br

O mundo inteiro está envolvido em questões ambientais. Os desastres naturais, os efeitos climáticos, a confusão entre as estações do ano. Tudo isso está fazendo com que o homem perceba que sua ação sobre a natureza está começando a receber uma resposta bastante severa.

Nesse contexto, práticas alternativas de geração de energia estão sendo bastante estudadas, buscando sistemas que provoquem um impacto menor no meio ambiente. Dentre elas, está a energia renovável, que é gerada a partir de recursos naturais.

Uma das formas de energia renovável é a energia solar, que é muito vantajosa quando se fala em custos, pois é gratuita e diariamente está sendo fornecidaem abundância. Osaquecedores solares têm sido uma maneira ecologicamente correta e barata de se ter sempre água quente em residências, hotéis e prédios comerciais.

Para saber um pouco mais a respeito de como captar e armazenar energia solar em nossas residências e como funcionam os aquecedores, o Nexjor conversou com Luciano Brum Ribeiro, proprietário da empresa Hidro Quente, que trabalha com os aquecedores Transsem e que atende à região norte do estado. Confira.

 

Nexjor: Como é feita a captação da energia solar?

Luciano Brum Ribeiro: O sistema de aquecimento solar capta a energia solar em placas, transformando em energia térmica, que então é armazenada em um reservatório de água quente, específico para este fim.

Nexjor: Qual é a forma de instalação das placas? É necessária uma estrutura própria e específica?

Luciano: A forma de instalação, normalmente em telhados, é preferencialmente voltada para o lado norte, se o telhado não estiver voltado para o norte é preparado um suporte com ferragem, para posicionar as placas.

Nexjor: É necessária uma estrutura reforçada devido ao peso das placas?

Luciano: Existem placas pesadas, mas existem placas feitas inteiramente de alumínio; portanto não se tornam tão pesadas.

Nexjor: Como é feita a manutenção do sistema de energia solar?

Luciano: A manutenção do sistema solar praticamente é fazer a lavagem dos coletores solares de seis em seis meses ou de ano a ano, dependendo de onde eles estão instalados.

Nexjor: Para a realização da manutenção, é necessário ser um profissional da área, uma pessoa especializada?

Luciano: Se você tiver o telhado muito inclinado, deverá chamar alguém para fazer a limpeza, mas, se for um local de fácil acesso, você mesmo pode lavar com água e sabão.

Nexjor: Qual o custo de um sistema solar?

Luciano Brum Ribeiro / Foto: Vanessa Lazzaretti

Luciano: O custo de um sistema solar de 600 litros, que pode atender a uma família de até seis pessoas, pois é calculado em torno de 100 litros dia por morador da residência, está em torno de 8 mil reais. Já um sistema de 300 litros, que atende a uma família de cerca de quatro pessoas, está em torno de 6 mil reais.

Nexjor: Quais a s vantagens de se instalar um sistema de aquecimento solar?

Luciano: A grande relação que se faz sempre, quando se fala em colocar um sistema solar, é com o fator ecológico; estar reutilizando uma energia que temos gratuita todos os dias. E a segunda questão é a de economia.  Então, quem busca este sistema visa estes dois fatores, economia e uma energia limpa.

Nexjor: Onde os aquecedores são mais utilizados, em casas, prédios, empresas, hotéis?

Luciano: Os nossos clientes em torno de 90% são residências. Este é o principal foco, residências de pequeno, médio e grande porte. Estamos colocando hoje o sistema solar em casas de pequeno porte através do programa Minha Casa Minha Vida, onde estão sendo entregues residências populares com um sistema solar de200 litros somente para banho.

Nexjor: Qual a demanda atual em Passo Fundo e região?

Luciano: Aquiem Passo Fundo instalamos por semana seis equipamentos. E, com a chegada da copa de 2014, já fechamos neste ano com quatro hotéis, pelo sistema de grande porte ser econômico e também pela procura por hotéis que tenham o chamado Selo Verde.

Nexjor: E em dias que não faz sol, podemos utilizar o sistema solar?

Luciano: Os reservatórios térmicos vêm com uma resistência elétrica que, nos dias em que não há incidência de sol, o cliente pode ligar o apoio elétrico.

Nexjor: Como é o reservatório de água?

Luciano: Internamente é feito de inox, tem um isolamento térmico em poliuretano, uma chapa externa em alumínio para dar acabamento.

Nexjor: Como é calculado o tamanho das placas de captação?

Luciano: O dimensionamento das placas para atender a uma família aqui no sul é usado um coeficiente de 1,4m para cada100 litros, já no nordeste se usa 0,8m.  Duas preocupações que se deve ter na hora de fazer o projeto, são o volume de água que a família utiliza em tudo e o volume de placas compatíveis para aquele volume de água.

Nexjor: Existem outras formas de captação de energia solar?

Modelo de placas de captação de energia solar / Foto: diarioverde.com.br

Luciano: Atualmente estamos voltando ao passado, reaproveitando em residências, churrascarias, restaurantes. Em todos aqueles clientes que utilizam lenha, churrasqueira, lareira, nós estamos instalando uma serpentina, fazendo com que, juntamente com a utilização desses produtos, ela também aqueça a água do banho.  A serpentina aumenta a temperatura da água entre 20° e 25° graus Celsius dependendo da incidência do fogo.

Nexjor: Em relação ao custo beneficio, qual tempo leva em média para o cliente ter o retorno do seu investimento?

Luciano: A tendência é de que todo e qualquer sistema solar se pague em três ou quatro anos, levando em conta que o sistema solar que a empresa trabalha tem a vida útil de vinte anos. E a garantia está em 10 anos sobre o produto e essa garantia é estendida, aqui no Sul ao sistema de anticongelamento.

Na próxima matéria sobre energias renováveis, falaremos sobre a energia eólica, que provém do vento. Aguardem!

497 days ago by in Destaques online , Impresso , Meio ambiente , Últimas. You can follow any responses to this entry through the | RSS feed. You can leave a response, or trackback from your own site.
About

Acadêmica do VII nível do curso de Jornalismo e estagiária do Núcleo Experimental de Jornalismo da AGECOM UPF.

Leave A Response

Required