Notícias UPF

“Oliver - O espetáculo continua”

  • Por: Jéssica França
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Muzar UPF promove exposição com leão que viveu durante sete anos no Zoológico da Instituição. Exposição inicia a partir de segunda-feira (20)

O Museu Zoobotânico Augusto Ruschi, da Universidade de Passo Fundo (Muzar/UPF), promoveu, na tarde de quinta-feira, 16 de novembro, uma apresentação à imprensa da exposição “Oliver – O espetáculo continua”. A exposição é composta por fotos, vídeo e o leão Oliver taxidermizado. O leão permaneceu durante sete anos no Zoológico da UPF. Oliver morreu em 2016.

De acordo com a diretora do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), professora Dra. Jurema Schons, devido à idade avançada de Oliver, a equipe do museu já vinha se preparando para fazer a manutenção do animal quando este viesse a óbito. “O Oliver foi um animal que conquistou a simpatia de todos desde que chegou ao zoológico em 2009 e, em função da avançada idade que ele já tinha, pensamos em fazer a manutenção dele taxidermizando”, explicou.

O leão Oliver nasceu no Uruguai, em 10 de abril de 1994, vivendo boa parte de sua vida em circo. Após ser abandonado e resgatado pelo Ibama, Oliver foi encaminhado para o Zoológico da UPF, onde chegou em 27 de novembro de 2009. Durante sete anos, o leão encantou os visitantes do Zoo, mas, com idade avançada, começou apresentar debilitações, sendo diagnosticado com câncer de pulmão. O agravamento do quadro foi a causa de sua morte, no ano de 2016. 

Desde seu óbito, houve um intenso trabalho da equipe do Muzar para o preparo do animal, e o processo de taxidermização levou três meses. “Foi um desafio para nós colocá-lo como uma peça museológica e isso se deve à ideia de que as pessoas possam revê-lo e de que possamos fazer um diálogo sobre a relação do ser humano com os animais. Essa é a provocação que estamos fazendo por meio da exposição e também de pensar que o ser humano interaja com a natureza com uma forma de respeitá-la para a preservação dos animais”, destacou a coordenadora do Muzar, Flávia Biondo da Silva. 
 

Oliver 
De acordo com Flávia, muitas pessoas vinham ao Zoológico especialmente para conhecer o leão Oliver, que, por seu porte grande e rugidos, deixava os visitantes fascinados com sua natureza selvagem. 

Flávia conta, ainda, que Oliver não deixou saudade somente para seus visitantes. Os profissionais que trabalhavam para mantê-lo bem e saudável também sentiram muito a sua falta. “Faz quatro anos que estou no Zoológico, e, desde que cheguei, tinha uma relação com ele no dia a dia. A partir disso, passei a ter afinidade.  Preparava a alimentação dele e, ao levar o alimento, comecei com um carinho e ele foi ficando mais dócil e tranquilo. Cada vez que íamos alimentá-lo, ele vinha e pedia um carinho”, contou o auxiliar de Zoológico Rafael dos Santos. 

Quando chegou ao Zoo da UPF, Oliver pesava aproximadamente 150kg. Recebendo todo cuidado necessário, chegou a pesar 250kg. Sempre viveu em cativeiro e morreu aos 22 anos, passando da expectativa de vida de animais que vivem nesse ambiente.

Taxidermia
O processo de taxidermia consiste no trabalho de montar ou reproduzir um animal para exibição ou estudo. É uma técnica de preservação da forma da pele, planos e tamanho dos animais. A estrutura do Oliver foi realizada em partes, dividida no crânio, patas, corpo e cauda.  “O processo de retirada da pele é feito por meio de um corte do abdômen à virilha do animal e da retirada do corpo interior. Quando possível, mantemos o crânio do animal junto na pele, porque dá um aspecto de vivacidade. No caso do Oliver, era para ser montado o esqueleto, contudo, houve a necessidade de realizar uns cortes específicos para fazer o laudo de necropsia, e, por isso, o crânio precisou ser retirado”, informou o biólogo e taxidermista Elinton Rezende. 

De acordo com Rezende, por ser um animal de grande porte, houve necessidade de um trabalho minucioso. Uma das dificuldades encontradas no processo foi relacionada ao trabalho com os olhos, que foram confeccionados por um artesão do Rio de Janeiro. 

Funcionamento do Museu
A exposição “Oliver - O espetáculo continua” estará aberta à visitação a partir de segunda-feira, 20 de novembro. O Muzar atende de segunda a sexta-feira, das 7h45min às 11h45min e das 13h30min às 17h30min. Além disso, nas terças e quintas-feiras, o local fica aberto até as 20h45min. Escolas interessadas em fazer o agendamento devem entrar em contato por meio do e-mail muzar@upf.br. Informações pelo telefone (54) 3316-8316.