Estrutura

Em 09 de abril de 2010 o Muzar/ICB/UPF inaugurou o prédio atual, com uma proposta museográfica adaptada às necessidades de atendimento ao público, de conservação do acervo e de apoio ao ensino e pesquisa, referência no interior do Rio Grande do Sul em seu destaque arquitetônico.

O Muzar possui acervo de coleções de zoologia, botânica, paleontologia e geologia, somando aproximadamente 25 mil exemplares. Identifica, conserva e registra coleções didáticas e científicas, para estudo da biodiversidade, exposições, educação museológica e ambiental. Possibilita a inter-relação do ensino, da pesquisa e da extensão, com o envolvimento de acadêmicos, professores e comunidade, oportunizando a formação acadêmica extracurricular e o intercâmbio com instituições similares.

Atende a comunidade interna e externa, de Passo Fundo, da abrangência multicampi e além dela. Em visitas às exposições e atividades no museu recebe uma média de 10 mil visitantes por ano e em atividades extramuros, nos últimos dez anos, atingiu mais de 300 mil pessoas (Relatórios Anuais UPF). A trilha perceptiva é realizada desde 2002, como atividade alternativa de sensibilização ambiental e museológica. O Muzar não tem registro de visitação dos primeiros cinco anos de atividade. A partir de 1980 até 2015, estimou-se que passaram pelas exposições do Museu Zoobotânico aproximadamente 230 mil visitantes.