Histórico

O Muzar/ICB/UPF foi idealizado por professores e alunos do curso de Ciências Naturais, que colaboraram para a sua efetivação e em 1975 foi aprovado pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão da Universidade de Passo Fundo. Em 1979, o museu ampliou a montagem do Herbário RSPF, hoje referência nacional. Em 1983, o museu ganhou espaço próprio, junto ao Instituto de Ciências Biológicas no Campus Universitário, atual sede da Universidade de Passo Fundo (UPF).

No dia 1º de agosto de 1986, durante a realização do III Encontro de Botânicos do RS, em Passo Fundo, foi descerrada a placa da denominação atual (aprovada pelos alunos do ICB), passando a denominar-se Museu Zoobotânico Augusto Ruschi (Muzar), homenageando o grande naturalista brasileiro. A relação com a comunidade se intensificou e o museu passou a ser alvo na busca de informações, tanto pela comunidade estudantil, como também o intercâmbio com outras instituições.

Em 1993, o Muzar sofreu mudanças administrativas, intensificando a integração do museu com a comunidade universitária, que contribuiu consideravelmente na ampliação das coleções científicas, abrindo espaço para a integração com a iniciação científica e a pesquisa. Mantendo coleções representativas da zoologia, botânica, geologia, paleontologia e afins, através da fixação, conservação e catalogação de coleções científicas e didáticas, disponibilizando material de empréstimo e apoiando projetos de identificação da fauna e flora da região norte do Rio Grande do Sul, serve de referência para a pesquisa básica, principalmente para o curso de Ciências Biológicas.

Entre 1996 a 1999 o Muzar realizou o projeto “Educação Ambiental: interação no Campus Universitário através de trilha ecológica”, onde se iniciou a realização da trilha ecológica e, a partir de 2002, deu continuidade pela Trilha Perceptiva à incorporação dos princípios da educação ambiental nas ações educativas do Muzar.

A partir de 2002, através do Promuseu/Fapergs o Muzar/ICB/UPF ampliou sua forma de comunicação com a comunidade, tornando-se interativo através da informática educativa e disponibilizando a página virtual (http://www.upf.br/muzar) e atualmente interage com a comunidade virtualmente também pelo Facebook.

Em 2006, o Muzar/ICB/UPF juntamente com a Companhia Riograndense de Saneamento (CORSAN) e o 3º Batalhão Ambiental da Brigada Ambiental aprovaram no Ministério do Meio Ambiente, o Projeto Sala Verde. Um espaço de aprofundar os debates e interações, de atuação política, social, cultural e ambiental, com a finalidade de articular e integrar as ações regionais, promovendo uma sinergia entre instituições, pessoas, projetos e programas, conectando-os aos processos globais.

Em 2008, o museu foi contemplado com o edital Apoio à Preservação de Acervos Seleção 2008 – BNDES, com o projeto “Ambientação e infraestrutura para o acervo do Museu Zoobotânico Augusto Ruschi”. Por meio do projeto, ocorreu a ambientação da reserva técnica e salas de exposições e a estruturação de boa parte da reserva técnica, laboratórios e área administrativa, modernizando parte do acervo com arquivos deslizantes e potencializando as ações no novo espaço, construído exclusivamente para o Muzar/ICB/UPF e reaberto à comunidade em 2010.

Confira algumas fotos históricas do Muzar!