Notícias UPF

Mundo da Leitura 20 anos: um trabalho consolidado pela formação de leitores

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Espaço completa duas décadas de atividades ininterruptas e realiza o lançamento de um livro e uma exposição

Ao longo de 20 anos, a educação sofreu muitas alterações. O mundo mudou. A sociedade se transformou. Durante todo esse tempo, um projeto inovador e pioneiro, pensado dentro das salas de aula do curso de Letras da Universidade de Passo Fundo (UPF), consolidou uma trajetória de luta constante pela formação de leitores culturais e literários. O Mundo da Leitura, vinculado ao Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), chega à sua segunda década de atividades oferecendo espaços de fortalecimento da leitura como uma ferramenta de transformação. Para celebrar a data, diversas ações serão desenvolvidas, dentre as quais do lançamento de um livro e uma exposição.

Desde seu início em 1997, o Mundo da Leitura teve como proposta realizar ações de leitura multimidiais, oferecendo um acervo diferenciado para alunos e professores das escolas públicas e privadas de Passo Fundo e região, bem como para docentes e discentes de cursos superiores. A ideia, de acordo com a criadora e coordenadora do espaço, professora Dra. Tania Rösing, sempre foi oportunizar um caminho, um roteiro que impulsionasse o passo a seguir. “Não oferecemos um único caminho, mas um caminho de práticas leitoras, buscando vencer a resistência que tanto a universidade quanto as escolas têm de construir, por elas mesmas, ações de leitura inovadoras, buscando receitas prontas em manuais didáticos. Mostramos, desde sempre, o passo a seguir nessa formação, sempre preocupados com a construção de leitores em diferentes modalidades, a partir, inclusive, da leitura silenciosa. Nosso fazer pela leitura ultrapassou os limites geográficos da cidade, da região, do estado e do país”, pontua, ressaltando que outras universidades se inspiraram no trabalho realizado aqui, incluindo uma instituição na Espanha.

A metodologia usada, trabalhando a literatura enquanto arte e seu conteúdo expresso em diferentes suportes, num processo de leitura expandida, promove um novo olhar sobre a aprendizagem e a própria construção individual e social do ser humano. De acordo com Tania, hoje, o acesso à tecnologia tornou viável o contato e a aproximação com os mais variados materiais, num período em que o aluno tem se tornado cada vez mais protagonista da sua história e da construção do seu conhecimento. “Ele sabe manipular as ferramentas tecnológicas e tem acesso a conteúdos inimagináveis, coisa que os professores muitas vezes não têm. Ele assume essa liderança não somente na escola, mas também em casa. O aluno criou caminhos de circulação entre o digital e o impresso com muita naturalidade”, destaca. A professora ainda ressalta que esse caminho passa muito pelo contato com os vídeo e com os games, que podem e devem, em sua opinião, ser mais do que uma ferramenta de entretenimento.

Frutos e futuro

Quatro anos depois da criação do Mundo da Leitura, em 2001, a equipe dá início ao projeto Jornadinha, um braço da Jornada Nacional de Literatura. O primeiro tema escolhido, em 2001, já indicava qual seria o direcionamento: “Uma jornada na galáxia de Gutemberg: da prensa ao e-book”.

O Mundo da Leitura também foi parar na televisão. Numa produção da UPFTV, em parceria com o Canal Futura, o programa mostrava as aventuras de gato Gali-Leu e sua turma. Elaboradas por uma equipe interdisciplinar que envolvia a UPFTV e os cursos das áreas de Letras, Artes e Comunicação, Educação e Ciências Exatas, o programa apresentava, de forma lúdica e dinâmica, diversas linguagens – manipulação de bonecos, leitura e encenação de textos infantis, artes gráficas, música, entre outros – que serviam e continuam servindo como incentivo para o desenvolvimento da criatividade, do raciocínio lógico, da sensibilidade e, principalmente, para a criação do gosto pela leitura entre as crianças.

Além disso, o Mundo da Leitura conta com projetos consolidados como o Práticas Leitoras, que acolhe os atores das escolas de diferentes naturezas e se prolonga no espaço dessas instituições; o Arte e Literatura aos sábados, um encontro com a comunidade no espaço localizado no Campus I; e o projeto Livro do Mês, que, desde 2006, em parceria com a Prefeitura de Passo Fundo, o SESC e a 7ª CRE, traz para o debate com alunos de escolas públicas e privadas autores contemporâneos cujas obras selecionadas são lidas previamente pelo público jovem.

Os desafios para o futuro são grandes. Tania pontua que a velocidade com que as mudanças acontecem deve instigar a Instituição e os envolvidos no projeto a estarem em constante atualização. É preciso, segundo ela, que o leitor que está sendo formado seja capaz de sair da leitura do entretenimento para um olhar mais profundo sobre o contexto ao seu redor. “Os desafios são grandes. Seria muito irresponsável um discurso do uso do aplicativo e das tecnologias sem ter a preparação do leitor. Já diagnosticamos pelas pesquisas que os índices de leitura não são bons no país, mas, em contrapartida, sabe-se que nunca se leu tanto. Agora, o que está sendo feito? É preciso uma parceria entre aluno e professor, para propor as mudanças que se esperam por meio do desenvolvimento de metodologias ativas”, explica.

Para a vice-reitora de Graduação, professora Dra. Rosani Sgari, a celebração dos 20 anos do projeto traz um sentimento de felicidade e orgulho para toda a Instituição. “Comemorar duas décadas de funcionamento do Projeto Mundo da Leitura é motivo de grande alegria. Nascido como um laboratório do curso de Letras, em 1997, com o objetivo principal de formar leitores em múltiplas linguagens, ele constituiu profundas raízes, cujas flores e cujos frutos colhemos hoje em abundância. Sob a maestria comprometida da professora Tania Rösing, idealizadora desse projeto e que, ao longo desse período, esteve à frente da sua gestão, o Mundo da Leitura construiu um novo leitor, numa perspectiva crítica e cidadã”, destacou, parabenizando todos os professores, os acadêmicos e a comunidade que dele fizeram um lugar para sonhar, pensar e transcender.

Na opinião da vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários, professora Dra. Bernadete Maria Dalmolin, as práticas desenvolvidas engrandecem ainda mais a Instituição. “É um projeto que foi se construindo ao longo do tempo como um espaço importante de contato com a comunidade e, principalmente, com os estudantes, na busca pelo estímulo da leitura qualificada. Ele fortalece as ações de formação de leitores, tornando os espaços permanentes. É importante também ressaltar as práticas leitoras realizadas pelos alunos, papel importante na experiência dos acadêmicos na construção de sua formação por meio da prática”, disse.

Programação especial

Uma tarde especial será realizada no dia 23 de setembro, sábado, no Campus I. Apresentações artísticas como o espetáculo “O silencioso mundo de flor” do Teatro Depois da chuva, grupo de Danças Folclóricas da UPF, Núcleo Suzuki de Violinos e o grupo de Danças. As atividades acontecem das 15h às 17h.