Notícias UPF

Para um mundo em transformação constante, professores em formação permanente

  • Por: Caroline Simor
  • Fotos: Alessandra Pasinato

Professores da UPF participam, de 8 a 11 de janeiro, da 3ª edição do Curso de Qualificação Docente, abordando as mudanças na educação e o papel do educador

Com uma sociedade em transformação diária, a educação torna-se, de maneira cada vez mais efetiva, um instrumento de mudanças. Pensando nessa realidade, a Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio da Vice-Reitoria de Graduação, juntamente com o Setor de Apoio de Pedagógico(SAP), promove a 3ª edição do Curso de Qualificação Docente. Voltado para todo o corpo de professores da Instituição, o evento abordará três aspectos: a Inclusão no ensino superior, as novas configurações familiares e as tecnologias digitais como ferramenta para as metodologias educacionais. As atividades ocorrem de 8 a 11 de janeiro, no auditório da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Feac), Campus I.

Para receber os professores, uma estrutura de debate diferenciada foi montada. No lugar da tradicional posição em que o palestrante fica à frente e o público permanece enfileirado, uma equipe do Núcleo de Arquitetura e Desenvolvimento Urbano e Comunitário (Naduc), da Faculdade de Engenharia e Arquitetura, organizou um espaço mais interativo, em que o debatedor fica ao centro, rodeado pelos ouvintes. A ideia, construída de forma coletiva, também teve a colaboração da equipe do SAP.

Presente no evento, o reitor, professor José Carlos Carles de Souza, falou sobre o compromisso da UPF com a formação contínua de seus professores. Segundo ele, para enfrentar os desafios diários da sala de aula, é fundamental que o fortalecimento das práticas e pensamentos ocorra pela formação. “A UPF tem oferecido, por meio da Vice-Reitoria de Graduação, diversas possibilidades de formação e qualificação para os professores. Uma delas é o Curso de Qualificação Docente, por meio do qual temos a oportunidade de compreender os processos e de responder a questionamentos que nos dão base para enfrentar as transformações sociais, nos tornado capazes de incluir e crescer de forma coletiva”, frisou.

A vice-reitora de Graduação, professora Rosani Sgari, recebeu a todos e agradeceu pela adesão ao curso. Em sua fala, ela enfatizou a importância de espaços de formação e da reflexão conjunta para a proposição de novos métodos e práticas. Segundo ela, cada vez mais se faz necessário um olhar mais comprometido, aberto e inclusivo para as transformações sociais, permitindo que a Universidade cresça e se desenvolva junto com a própria sociedade. “Temos a tarefa de não apenas olhar, mas enxergar nossos processos. Precisamos ser capazes de transformar nosso dia a dia e, com isso, formar cidadãos comprometidos com uma sociedade mais justa, humana, inclusiva e qualificada”, destacou, ressaltando que a formação docente não é propriedade de nenhuma área, mas de toda a Universidade, num processo de fazer com que o professor consiga pensar diferente do contexto tradicional da sala de aula.

Também marcaram presença na solenidade de abertura a presidente da Fundação Universidade de Passo Fundo (FUPF), Maristela Capacchi; o vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, professor Leonardo José Gil Barcellos; a vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários, professora Bernadete Maria Dalmolin; e o vice-reitor Administrativo, professor Agenor Dias de Meira Junior.

Bate-papo
O palestrante convidado para dar início à programação foi o professor Dário Aguirre. Psicopedagogo e membro do Grupo Incluir, ele trouxe para o debate o tema “Eles chegaram! Como promover a inclusão na educação superior”. 

Para dar início à sua fala, ele parabenizou a Universidade pela forma com que organizou a atividade e destacou que o desafio da inclusão está na mudança de postura dos educadores. “Primeiro, foi uma grata surpresa encontrar este ambiente. Parece estranho dizer isso, mas, mesmo sendo berço das grandes mudanças, ideias e inovações, de maneira geral, as universidades são resistentes e tendem a se manter nos costumes tradicionais. É motivador ver que a UPF propõe novos pensamentos e é assim que mudamos a sociedade”, pontuou.

O debate, que contou com a interação dos professores presentes, foi mediado pela professora Silvana Baumkarten, coordenadora do Serviço de Atendimento ao Estudante (Saes).

Programação intensa
As atividades seguem na noite desta segunda-feira (8), com a conferência “Configurações familiares no século XXI e o impacto na docência”, ministrada pelo professor Abraham Turkenicz.

Na terça, dia 9, das 14h às 17h, ocorrem as oficinas, realizadas nas salas de aula da Feac. Entre os temas, a flexibilidade na educação superior – como construir planos de aula que atendam a todos; a complexidade e a transdisciplinaridade a serviço da inclusão; transtorno do espectro autista: sintomas que o definem e as principais dificuldades associadas; desafios no ensino superior e as possibilidades de ação e intervenção docente; relacionamento interpessoal: eu e os outros; e comunicação, expressão e oratória.

À noite, a partir das 19h30min, ocorre o painel “Metodologias ativas: o ensino centrado no aluno para o desenvolvimento da colaboração e da autonomia”, com o professor Fernando de Mello Trevisani.

No dia 10, quarta-feira, as oficinas prosseguem das 14h às 17h. Na quinta-feira, dia 11, ocorre um momento de integração, no auditório da Feac, a partir das 8h30min. O tema será “Juntos e misturados: 50 anos e um novo olhar sobre o nosso Campus”, momento em que, após um café da manhã, todos serão levados para um passeio orientado pelo Campus.