Notícias UPF

Programas de intercâmbio impulsionam a internacionalização da UPF

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

A internacionalização é um dos processos em constante desenvolvimento dentro da Universidade de Passo Fundo (UPF). Entre os instrumentos para o crescimento dessa área estão os programas de intercâmbio oferecidos por meio da Assessoria para Assuntos Internacionais e Interinstitucionais (AAII). Hoje, a Instituição conta com cinco cursos acreditados pelo Programa Arcu-sul: Agronomia, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos e Engenharia Mecânica, todos com possibilidade de participar do Programa de Mobilidade Acadêmica Marca.

O Marca é um programa do Governo Federal, em parceria com universidades conveniadas de países pertencentes ou associados ao Mercosul, que busca promover a consolidação, a expansão e a internacionalização dos estudos acadêmicos, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio de alunos de graduação e da mobilidade internacional. 

De acordo com a professora Gisele Benck de Moraes, assessora internacional, a efetivação das mobilidades acadêmicas proporciona à Instituição o cumprimento e o alcance de muitos objetivos. Entre eles, oferecer oportunidade de estudo a discentes brasileiros em universidades conveniadas de excelência e permitir a atualização de conhecimentos em grades curriculares diferenciadas, possibilitando o acesso de estudantes brasileiros a instituições de elevado padrão de qualidade, visando complementar sua formação em áreas prioritárias e estratégicas para o desenvolvimento profissional. O programa também busca complementar a formação de estudantes brasileiros, oferecendo a oportunidade de vivenciar experiências educacionais voltadas para a qualidade, o empreendedorismo, a competitividade, a inovação e relações interculturais, além de estimular iniciativas de internacionalização das universidades brasileiras. 

Para Gisele, a possiblidade de intercâmbios acadêmicos reflete positivamente para a Universidade, pois permite a troca de experiências, cultura, pesquisa e metodologias diferenciadas entre instituições renomadas estrangeiras. 

Cursos creditados, mais oportunidades para o crescimento
Conforme o professor Francisco Dalla Rosa, coordenador do curso de Engenharia Civil, o programa tem proporcionado aos acadêmicos a troca de experiências acadêmicas e culturais, concretizada com a vinda de acadêmicos de outros cursos à nossa Instituição. “Além disso, a vinda desses acadêmicos tem oportunizado, após a formação na instituição de origem, a realização de cursos de pós-graduação junto ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia (PPGEng). Nesse sentido, o Marca tem sido de grande importância para a mobilidade de acadêmicos no curso de Engenharia Civil”, destacou.

O curso de Engenharia de Alimentos, criado em 1998, prestes a completar 20 anos de atividades e com mais de 250 profissionais formados, iniciou em 2010 o processo de credenciamento no Sistema Arcu-Sul. Segundo o professor Jeferson Steffanello Piccin, coordenador do curso, esse processo se iniciou com um planejamento estratégico, a fim de potencializar seus pontos fortes. Em 2013, o curso recebeu avaliação in loco de consultores do programa Marca, sendo recomendado ao credenciamento. “Para nós, o credenciamento no programa representa um atestado da qualidade do curso e sua importância, tanto do ponto de vista regional quanto do nacional e do internacional.  O credenciamento permite que alunos do curso de Engenharia de Alimentos cursem parte de sua graduação em outras instituições de ensino nos países conveniados ou ainda, receber alunos dessas instituições para realizar parte de sua formação em nossa Instituição”, reforçou.

Franciele Sabadin é acadêmica do curso de Arquitetura e Urbanismo e está em intercâmbio na Bolívia. Para ela, participar dessa experiência está sendo a maior aventura já vivida. Ela conta que, em Sucre, onde está alocada, a cultura é diferente da brasileira, segue-se muito as tradições, a comida é riquíssima e as paisagens são lindas. “Estudar em outra universidade também tem sido uma experiência muito boa, compartilhando e ampliando conhecimentos de maneiras diferentes. A experiência de vivenciar um intercâmbio acadêmico é única e de uma relevância que não se pode descrever ao todo, crescimento pessoal, acadêmico e profissional, vivência de outras culturas e oportunidade de conhecer muitos lugares resume um pouco do que é essa ‘aventura’. Desafiar-se ao novo é o que recomendo a quem busca um intercâmbio”, contou a acadêmica. 

Vestibular de Verão UPF
A UPF está com inscrições abertas para o Vestibular de Verão 2018 para ingresso em cursos de graduação na modalidade presencial. São oferecidas 58 opções de cursos na UPF em Passo Fundo e cursos nos campi Carazinho, Casca, Lagoa Vermelha, Sarandi e Soledade.

A inscrição deve ser feita via internet, pelo site vestibular.upf.br, até o dia 13 de novembro. A prova, que acontece no dia 18 de novembro, está dividida em dois grupos: 1 e 2. Os candidatos aos cursos do Grupo 1 farão somente a prova de Redação, já os candidatos aos cursos do Grupo 2 farão as provas de Redação, Língua Portuguesa, Literatura Brasileira, Língua Estrangeira, História, Geografia, Matemática, Física, Biologia e Química. A prova do Grupo 1 será das 14h às 15h30min, e as do Grupo 2, das 14h às 19h.