Notícias UPF

Reitor participa de solenidade de assinatura de termo para ampliação e modernização do Aeroporto de Passo Fundo

  • Por: Fonte: Assessoria de Imprensa Palácio Piratini
  • Fotos: Luiz Chaves e Karine Viana - Palácio Piratini

Assinatura foi realizada na tarde desta quinta-feira, 7 de dezembro, no Palácio Piratini, em Porto Alegre. Aeroporto de Passo Fundo vai receber investimentos de R$ 45 milhões

O reitor da Universidade de Passo Fundo (UPF), José Carlos Carles de Souza, participou na tarde desta quinta-feira, 7 de dezembro, de um anúncio importante para o desenvolvimento da aviação regional do Rio Grande do Sul. O aeroporto Lauro Körtz, de Passo Fundo, vai receber R$ 45 milhões para obras de ampliação e modernização. Entre as principais, estão um novo terminal de passageiros, um novo pátio para estacionamento das aeronaves e a recuperação da atual pista de pousos e decolagens.

O valor foi confirmado nesta quinta-feira (7), com a assinatura de um termo de compromisso entre a União e o governo do Rio Grande do Sul, por intermédio do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil e da Secretaria do Transportes. A solenidade foi no Palácio Piratini, em Porto Alegre.

O governador José Ivo Sartori disse que o investimento é resultado da união de esforços dos governos estadual e federal. "Acredito que estamos muito perto de um aeroporto renovado, que atenda totalmente às necessidades do município e de toda a região, com cerca de 100 cidades. As expectativas das comunidades também são as nossas expectativas, ou seja, serviços de qualidade para o cidadão", destacou.

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, explicou que os recursos serão liberados conforme o cumprimento das etapas previstas no Plano de Trabalho. Conforme Quintella, R$ 5 milhões já estão garantidos. Até 2018, serão empenhados R$ 27 milhões do orçamento. O restante deve sair em 2019. "Escolhemos Passo Fundo como um dos aeroportos prioritários para o desenvolvimento da aviação regional. É uma obra fundamental para a integração do estado e do país", afirmou.

Com as mudanças, o aeroporto vai poder receber aviões maiores, da categoria 3C (como o E190, da Embraer, ou o B737, da Boeing). O secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, disse que a ampliação é fundamental porque a demanda tem crescido muito. "O terminal de Passo Fundo saltou de 53 mil para 166 mil passageiros nos últimos três anos", falou.

Também participaram do ato, o chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha; o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, o secretário estadual dos Transportes, Pedro Westphalen, o prefeito de Passo Fundo, Luciano Azevedo, representantes do Poder Legislativo Federal, Estadual, e demais convidados.

Obras já em 2018
O total do convênio é de R$ 45.051.546,39, sendo que 97% desse valor competem à União e 3% ao Estado. Os projetos das obras já estão aprovados pela Secretaria Nacional de Aviação Civil e com as licenças ambientais em dia (de operação e de instalação de ampliação). Significa que, com a assinatura do termo de compromisso, o Estado já pode encaminhar o edital de licitação para que as empresas interessadas concorram. A expectativa do governo gaúcho é de lançar o edital até o começo de 2018.

Segundo o Ministério dos Transportes, a primeira etapa das obras vai incluir a recuperação da pista de pouso e decolagem, a regularização das faixas para operação por instrumento e também das áreas de segurança. Este trabalho deve ser concluído até dezembro de 2018. Na sequência, serão construídos o novo terminal de passageiros, o novo pátio de aeronaves e a nova taxiway (área que liga a pista principal ao pátio de aeronaves). Também estão previstas a construção de uma nova seção contra incêndio e a implantação de equipamentos para auxiliar a navegação aérea. As obras não vão interromper as atividades do aeroporto, que continuará em funcionamento.

O investimento faz parte do Programa de Aviação Regional, do Governo Federal. Também participaram do ato o chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha; o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira; e o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra; além de outras autoridades.