Notícias UPF

Mestrando da UPF apresenta artigo no Prêmio INFI-Febraban

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Fábio Brezolin, aluno do Mestrado em Computação Aplicada, apresentou o artigo "Uma plataforma com dispositivo IoT como ferramenta educacional"

O aluno do curso de Mestrado em Computação Aplicada da Universidade de Passo Fundo (UPF) Fábio Lopes Brezolin participou, entre os dias 17 e 18 de outubro, do Prêmio INFI-Febraban: Melhores artigos em educação corporativa e acadêmica, que premiou os três melhores trabalhos sobre o tema, além do melhor na categoria graduação. O prêmio aconteceu durante o 1º Encontro de Universidades – A busca pela sinergia entre a educação acadêmica e corporativa, realizado pelo Instituto Febraban de Educação (INFI), na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA/USP) e reuniu profissionais atuantes na área de educação corporativa e acadêmica. 

Brezolin submeteu o artigo "Uma plataforma com dispositivo IoT como ferramenta educacional", produzido em coautoria com o mestrando Ericles Bellei e os professores Marco Trentin (UPF) e João Brezolin (IFSul). O artigo é uma versão do trabalho que o aluno está desenvolvendo no Mestrado sobre autenticação em dispositivos IoT - Internet of Things, pequenos dispositivos eletrônicos de baixo custo que interagem com o ambiente de forma digital. “Hoje, o modelo mais utilizado para acessar um sistema é o login/senha, mas esse modelo não tem mais sentido no mundo da IoT. Se um agricultor, por exemplo, quer ver a umidade do solo, não vai ir até um computador para acessar essa informação, ele precisa ver ali mesmo na lavoura”, explicou o mestrando. 

Para criar um cenário de estudo para essa forma de autenticação, Brezolin desenvolveu um protótipo, apelidado de “Brezobomba” pelos colegas, em que poderiam ser testadas essas novas formas de autenticação. “A ‘Brezobomba’ como ferramenta educacional e de temática ambiental chamou muito a atenção por ser um dispositivo simples, barato, móvel e lúdico e por ter a cultura maker. Além disso, o site com que ele interage (www.brezobomba.info) é todo visual, facilitando o entendimento dos dados que o dispositivo captura. Além disso, o gerenciamento do dispositivo é de fácil compreensão, não precisando de treinamento ou conhecimento técnico”, contou. 

Brezolin disse que ficou muito feliz com a aprovação do artigo e com a oportunidade de ter conversado com os maiores autores de educação no Brasil. “Foi um projeto que iniciou com um extintor de incêndio usado, que me levou muito mais longe do que podia imaginar. Se não fosse o apoio técnico pessoal do Grupo de Pesquisa do GEPID e dos meus colegas de mestrado, certamente esse projeto não teria chegado nesse nível”, finalizou.