Notícias UPF

Laboratório para Computação de Alto Desempenho em GPUs entra em operação no UPF Parque

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Divulgação

Neste mês de agosto, entrou em operação o Laboratório para Computação de Alto Desempenho, junto ao Núcleo de Visualização e Modelagem Computacional (NVMC), instalado no módulo III do Parque Científico e Tecnológico UPF Planalto Médio (UPF Parque). A unidade é composta por três computadores servidores, com processador de 3.5GHz - 10 núcleos, 32 GB Memória RAM, HD 5 Terabytes, placa Mãe MSI Gaming e monitor Ultra HD 4K 28".

Os recursos para aquisição dos equipamentos foram obtidos por meio do projeto Centro de Inovação em Desenvolvimento de Software (CIDES). O projeto foi aprovado em dezembro de 2016, junto à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado (SDECT-RS), e é coordenado pelo professor Dr. Cristiano Cervi.

As máquinas receberam placas de vídeo (GPUs) de alto desempenho, doadas pela empresa NVIDIA: uma Tesla K40 Active com 16GB de memória dedicada e duas GTX Titan X, com 12GB de memória dedicada cada uma. Elas integram também o Centro de Educação em Computação Paralela da NVIDIA no Brasil, convênio firmado entre essa empresa e a UPF em 2016.

Tecnologias contribuirão para o progresso da ciência

Por terem uma arquitetura paralela, as GPUs permitem que seus núcleos sejam utilizados para a realização massiva e complexa de cálculos matemáticos, adequados para diversas abordagens. Como exemplos, podem ser citadas as áreas de Modelagem e simulação, computação gráfica, realidade virtual, processamento de imagens, data science, games e deep learning.

De acordo com o professor Dr. Rafael Rieder, coordenador do NVMC e do Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada (PPGCA), alunos e professores dos cursos de graduação e pós-graduação da UPF, bem como com as empresas incubadas junto ao UPF Parque, poderão usufruir dessas tecnologias para o progresso da ciência e na criação de novas soluções à sociedade. “Além de beneficiar e revolucionar a prática de ensino, pesquisa e extensão, a presença desses equipamentos abre portas para o surgimento de projetos e parcerias multidisciplinares, uma vez que a computação permeia avanços em todas as áreas do conhecimento”, destaca.