Notícias UPF

Ação alerta para a prevenção no Dia Mundial de Luta Contra a Aids

  • Por: Alessandra Pasinato
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Curso de Enfermagem da UPF e Secretaria Municipal de Saúde realizam testes rápidos de HIV e sífilis para toda a população, em consultórios montados na praça Tochetto, neste dia 1º de dezembro

O Boletim Epidemiológico de 2016 do Ministério da Saúde aponta que a média nacional de casos notificados de HIV e Aids é de 19 casos por 100 mil habitantes. O Rio Grande do Sul é o estado com maior número de pessoas infectadas, com 34 casos por 100 mil habitantes. No município de Passo Fundo, os números são ainda mais alarmantes, equivalendo a 49 casos por 100 mil habitantes, chegando à 34ª posição dentre os municípios brasileiros com maior número de indivíduos portadores do HIV (média de 90 casos novos por ano).

Diante da população cronicamente infectada e não diagnosticada, a Secretaria Municipal de Passo Fundo, através do Serviço de Atendimento Especializado em HIV/Aids, juntamente com os acadêmicos dos cursos de Enfermagem e Medicina da Universidade de Passo Fundo (UPF) e alunos do Programa PET Saúde, organiza a Campanha de Combate à Aids. Para informar a população sobre o teste rápido que pode detectar precocemente a doença, uma ação especial está sendo realizada neste dia 1º de dezembro, lembrado como o Dia Mundial de Luta Contra a Aids.

Testes rápidos e gratuitos

A atividade acontece durante todo o dia na Praça Tochetto, com atendimento até as 18h. O objetivo da ação é conscientizar a população, superar estigmas e ampliar o acesso a métodos protetivos, ao diagnóstico precoce e ao tratamento da doença. São oferecidos gratuitamente testes rápidos de HIV e sífilis para toda a população, em consultórios montados na praça. Os resultados são entregues em poucos minutos e casos reagentes são encaminhados ao serviço especializado.

Em 2016, a ação realizou mais de 500 testes rápidos. A iniciativa é coordenada pela professora Sandra Vanini, que relata que, para 2017, a intenção é superar esse número e oferecer a testagem a mais pessoas, prevenindo e orientando a população. “Independentemente de ter sintomas, as pessoas devem fazer o teste. Nem sempre as pessoas apresentam sintomas ao serem contaminadas, só vão ter quando desenvolverem a doença. Se precocemente souberem que contraíram o vírus, podem iniciar o tratamento e ter qualidade de vida”, explica ela.

Mais de 60 pessoas estão envolvidas no atendimento ao público durante a campanha. Uma das pessoas que buscou realizar a testagem é Marinês Rocha, de 50 anos. Para ela, o teste é rápido e é uma questão de saúde. “Aproveitei a campanha para fazer o teste, que vale também como prevenção”, afirma. Além dessa ação especial, os testes estão disponíveis diariamente de forma gratuita em todas as unidades básicas de saúde do município.

HIV e Aids

Conforme define o Ministério da Saúde, a Aids é o estágio mais avançado da doença que ataca o sistema imunológico. A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, como também é chamada, é causada pelo HIV- vírus da imunodeficiência humana, que ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. Ter o HIV não é a mesma coisa que ter a Aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença, no entanto, podem transmitir o vírus a outras pessoas por meio de relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento seringas contaminadas ou de mãe para filho, durante a gravidez e a amamentação. O Ministério da Saúde recomenda fazer o teste sempre que passar por alguma situação de risco e usar proteção em todas as situações.