Notícias UPF

UPFA Fuerza é lançada na Expodireto

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Alessandra Pasinato

Nova cultivar de aveia desenvolvida pela UPF foi lançada nesta quarta-feira, 7 de março. Variedade tem ciclo médio e apresenta boa fertilidade e resistência a doenças

Após 13 anos de pesquisa e desenvolvimento, uma nova cultivar de aveia foi apresentada ao mercado na manhã desta quarta-feira, dia 7 de março, pela Universidade de Passo Fundo (UPF). A UPFA Fuerza, desenvolvida por meio do Laboratório de Sementes da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAMV), se apresenta como uma cultivar produtiva, com ciclo médio, que apresenta resistência a doenças. A apresentação da nova variedade ocorreu no estande da UPF na Expodireto Cotrijal.

Tradição em pesquisa
O diretor da FAMV, professor Hélio Rocha, esteve presente no lançamento da cultivar e destacou a trajetória do Programa de Pesquisa em Aveia da UPF, que teve início nos anos 1970 e se consolidou no desenvolvimento de cultivares: são 26 variedades desenvolvidas, das quais 25 são de aveia branca, entre elas a UPFA Fuerza. Conforme ele, o programa foi o primeiro da UPF e, a partir dele, se consolidaram várias áreas de pesquisa que culminaram, em 1994, com a criação do mestrado e posteriormente do doutorado em Agronomia.

Coordenadora do Programa de Pesquisa em Aveia, a professora Nádia Canali Lângaro salientou que, na década de 1970, quando as primeiras matérias foram importadas, foi necessário investimento em pesquisa para adaptação das variedades às condições locais do sul do Brasil. Para a professora, houve uma grande evolução em pesquisa de aveia e isso se deve à adaptação dos materiais às condições brasileiras e aos materiais com qualidade industrial.

Sobre a UPA Fuerza, ela comentou que a cultivar tem ciclo médio, o que auxilia no sistema de produção, uma vez que não atrapalha a cultura de verão e se torna uma opção de rotação de cultura com o trigo. “É uma renda aos produtores, além de deixar o solo com aporte de massa verde, protegendo o solo da erosão. Além disso, ela tem vantagem na fertilidade e no controle de doenças”, frisou.

UPFA Fuerza 
A UPF tem firmado um acordo de cooperação internacional com a Universidade da Flórida e, com o incentivo da empresa americana Quaquer, recebeu os materiais da cultivar em 2008. “Recebemos essas sementes na terceira geração. Conduzimos e selecionamos materiais que se adaptaram à região, testamos e fizemos a comparação com cultivares elite. Após testes locais, na região, ampliamos a área para todo o sul do Brasil”, informou Nádia, salientando que são 17 locais que fazem parte da rede de experimentação das áreas de aveia.

Segundo a pesquisadora, o material se destacou pela resistência às principais doenças da aveia – ferrugem da folha e manchas foliares –, que depreciam muito o grão. A partir de 2010, o Programa passou a contar com o apoio técnico científico da Fundação Pró-Sementes, que atualmente é responsável pelo licenciamento das cultivares. 

A gerente de pesquisa da Fundação Pró-Sementes, Kassiana Kehl, integrou a comissão de pesquisa em aveia branca junto a outros pesquisadores da UPF. Segundo ela, a cultivar vem atender a um nicho de mercado que abrange tanto o produtor de gado de leite, com fornecimento via forragem através de pastoreio, quanto a produção de cereais para indústria alimentícia ou para produtores de equinos, que fornecem alimentação em forma de grãos. “Esse é primeiro ano de lançamento da cultivar. A semente genética será semeada na safra de inverno de 2018 e comercializada para produtores de semente como categoria básica, chegando ao produtor em 2019”, destaca.