Notícias UPF

Tudo é possível no mundo das palavras

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Espetáculo, que encantou o público na abertura da 16ª Jornada e 8ª Jornadinha recebeu a comunidade na noite desta quinta-feira (5)

Um dos momentos mais marcantes da 16ª Jornada Nacional de Literatura e da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura foi o espetáculo de abertura. Organizado pela Cia da Cidade, a apresentação conquistou o público e fez com que a Universidade de Passo Fundo (UPF) abrisse as portas para que a comunidade prestigiasse a ação.

Entre as trilhas sonoras das músicas compostas para o espetáculo, frases como “coisas que só acontecem quando a gente acredita”, “Tudo é possível no mundo das palavras” e “nas palavras, nas ideias e nos livros, os homens encontram o que procuram pela vida”. O público acompanhou atento e emocionado, observando os movimentos, as poesias, a história e as mensagens deixadas pela abertura da Jornada.

Presente no evento, o reitor da UPF, professor José Carlos Carles de Souza, destacou que a grandiosidade do show faz dele digno de ser assistido por toda a comunidade. “Diante da beleza do espetáculo, sentimos a necessidade de fazer com o que o maior número possível de pessoas pudesse acompanhar. A Jornada é uma movimentação consolidada e provou, nesses dias, que terá uma vida ainda mais longa”, ressaltou.

Para que a iniciativa fosse possível, além dos atores e dançarinos contratados, muitos voluntários fizeram parte do processo. Um deles é o coordenador da Big Band Comunitária da UPF, projeto vinculado à Vice-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (VREAC), Rodrigo Ávila. Para ele, a participação foi um grande privilégio. “Temos apenas quatro anos de atividades e é para nós uma honra muito grande fazer parte desse trabalho. Participamos na 15ª Jornada e estamos novamente envolvidos nesse novo formato. Tive participação no arranjo da música final com os sopros. Fizemos um ensaio muito rápido e nos adaptamos na parte musical e de performance, num grande trabalho coletivo”, destacou.

Na opinião da bailarina Sinara Costa, proprietária da Petipá Espaço da Dança, fazer parte do elenco foi uma experiência especial e uma oportunidade de transformação pessoal. “Para mim, está sendo maravilhoso fazer mais esse trabalho em mais essa Jornada. Estou na Universidade há 25 anos e tenho estado envolvida em todas as edições desde então. Este ano está sendo especial. Estou muito feliz por ter recebido o convite para participar e estou realizada não apenas como bailarina, mas também como leitora, pela importância dessa movimentação que atua na transformação do ser humano e da sociedade”, pontuou.