Notícias UPF

Jornada lança aplicativo para “caçar” livros

  • Por: Assessoria de Imprensa
  • Fotos: Gelsoli Casagrande

Jornada Nacional de Literatura inova na Pré-Jornada e na Pré-Jornadinha e lança aplicativo na área de gamificação da leitura para que o público interaja de um jeito atrativo com as obras

Na 16ª edição da Jornada Nacional de Literatura, o público não fará apenas a leitura prévia das obras dos escritores que estarão participando de uma das maiores movimentações literárias da América Latina, que acontecerá em Passo Fundo/RS, em outubro. Além de ler as obras previamente, estudantes, professores e a comunidade em geral terão a oportunidade de interagir com os livros, por meio do JornadApp, aplicativo oficial da Jornada, que tem como base obras literárias. O lançamento da plataforma aconteceu no final de junho, na Universidade de Passo Fundo (UPF), durante o segundo encontro do curso de extensão para formação dos agentes de leitura, que atuarão no período da Pré-Jornada e Pré-Jornadinha. 

O JornadApp integra as atividades da Pré-Jornada e da Pré-Jornadinha, que envolvem o período de leitura das obras dos autores que participarão da Jornada e da Jornadinha, em outubro. O programa consiste em um jogo por aplicativo em sistema Android ou iOS, disponibilizando download e upload de dados. A plataforma, para as atividades de Pré-Jornadinha, estará aberta entre os dias 26 de junho a 17 de julho para cumprimento das tarefas, que serão avaliadas pela comissão das Jornadas Literárias. 

O sistema possui duas funcionalidades e atinge públicos diferentes. Uma delas é o “JornadApp na Escola”, que é uma espécie de game, destinado aos alunos do ensino fundamental e integra a Pré-Jornadinha. Já a outra funcionalidade abrange o “Projeto Transversais: rotas leitoras”, que também integra a Pré-Jornada e é voltada a qualquer pessoa, em especial o público jovem, que terá que percorrer rotas pela cidade de Passo Fundo, "caçando" personagens e demais informações de obras indicadas para a Jornada.

O JornadApp acompanha as novas formas de difusão da literatura no meio digital. Um dos coordenadores da Jornada, Miguel Rettenmaier, ressalta que a literatura, que por muitos anos ficou limitada ao universo real, físico, agora segue a tendência da vida, que está cada vez mais on line. “Os computadores e os mobiles são os novos habitats da escrita e, sobretudo, da leitura, no novo enlace das palavras com o som e a imagem. A difusão da literatura em meio digital, assim, parte dos livros digitalizados e alcança as demais publicações nas redes, até outros dispositivos, mais provocativos quanto à interação direta com a recepção”, destaca Rettenmaier.

O aplicativo da Jornada é considerado inovador na área da gamificação da leitura e uma forma de tornar a leitura um hábito prazeroso. “É um software com jogos que têm como base de conteúdo as obras literárias. De alguma forma, esses jogos buscam mediar a leitura por um apelo que é também elemento essencial da leitura da literatura:  o prazer, o enigma”, enfatiza a também coordenadora da Jornada, Fabiane Verardi Burlamaque.

A vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF, Bernadete Maria Dalmolin, ressalta que o aplicativo contribui com a democratização da leitura e da literatura, um dos principais objetivos da Jornada. “Com o intuito de, de forma prazerosa, democratizar a literatura e a leitura, pensamos em maneiras de fazer com que elas chegassem mais próximas da comunidade. E, dessa forma, surgiu a ideia do aplicativo, que é uma forma atrativa de incentivar a leitura, com o propósito de contribuir para uma sociedade mais crítica e reflexiva, capaz de fazer transformações positivas no mundo”, ressalta a vice-reitora.

O software foi desenvolvido por Thiago Vanzo Ambrosi, com conteúdo elaborado pela comissão organizadora das Jornadas, com apoio de alunos e voluntários. “Logo que a comissão da Jornada me apresentou a ideia, percebi que era algo inovador. O aplicativo integra várias funcionalidades de interação em um celular como leitura de QRcode e posicionamento georreferenciado, por meio de mapas. O usuário tem que ter o conhecimento prévio das obras para poder interagir e responder às atividades. É o melhor dos dois mundos: integra o conhecimento literário e os recursos da tecnologia”, comenta o desenvolvedor do aplicativo.

A BSBIOS está patrocinando o aplicativo. O diretor industrial da empresa, Ézio Slongo, destaca a importância de incentivar a leitura em suas diversas possibilidades. “A empresa está muito feliz em participar desse projeto. Passo Fundo é a Capital Nacional de Literatura e esse projeto reforça ainda mais esse título. É importante sempre incentivar a leitura, especialmente para as crianças, que são o nosso futuro”, enfatiza Slongo.

A 16ª Jornada Nacional de Literatura e a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, que acontecem de 2 a 6 de outubro, são realizadas pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela Prefeitura de Passo Fundo. Os eventos contam com os patrocínios do Banrisul, da Corsan, do Sesi, da BSBIOS e da Companhia Zaffari & Bourbon e com o apoio do Ministério da Cultura, além da parceria cultural do Sesc, dentre outras empresas e órgãos. As inscrições para participar dos eventos estão abertas e devem ser feitas no site www.upf.br/16jornada.

O aplicativo pode ser baixado por meio de lojas on-line de aplicativos: App Store (IOS) e Play Store (Android)

JornadApp na Escola
O JornadApp na escola é destinado aos alunos de ensino fundamental (1º ao 9º ano) e integra a Pré-Jornadinha. Nessa parte do aplicativo, há atividades destinadas a estudantes em conformidade com os anos escolares dos grupos inscritos. Para que uma equipe possa participar, é necessário um dispositivo por grupo, de forma que a equipe possa cumprir as tarefas em sistema de gamificação da leitura.

A plataforma está aberta para o cumprimento das tarefas, as quais devem ser desenvolvidas por turmas escolares, mediante a liderança de um professor (líder de equipe). Nessa dinâmica, é fundamental o apoio dos agentes de leitura, que estão sendo formados no curso de extensão "A leitura multiplicada: a formação do agente de leitura" e que já estão colaborando para aproximar a escola das Jornadas.

O aplicativo está programado para auxiliar o professor quanto às obras propostas para as diferentes etapas de ensino. O professor, ao apresentar-se e ao registrar a turma, será encaminhado às atividades em cada obra, e as tarefas estarão associadas aos livros da Jornadinha. Cada atividade será representada pela capa da obra. 

O jogo não será entre escolas, mas entre as turmas da própria instituição. Não há limite de participação de turmas por escola. As atividades têm diferentes dificuldades e pontuações.  Os mais bem pontuados internamente, na escola, serão anunciados como vencedores. “O que vale é a motivação de se trabalharem várias obras coletivamente, com atividades compartilhadas, assumidas pelos grupos”, destaca a coordenadora Fabiane.

Projeto Transversais: rotas leitoras
O Projeto Transversais: rotas leitoras, que inicia no final do mês de julho, é outra parte do aplicativo que permitirá ao caminhante andar pela cidade, por caminhos diversos, pelos pontos turísticos e locais históricos da cidade com informações na rota escolhida, via mapas. O aplicativo apresentará um leitor QRcode a ser acionado pelo celular. O caminhante se inscreverá individualmente no aplicativo, mas poderá realizar os trajetos em grupo, caso desejar.

Ao final da rota, o caminhante receberá um certificado de Pré-Jornada.  “Há vários trajetos, associados às temáticas da Jornada: Rotas dos Monstros e Medos; Rota das imagens; Rota dos homenageados e Rota da Igualdade. A primeira delas é uma narrativa pela qual o caminhante ajuda a protagonista a fugir de um mundo invadido por monstros”, revela o coordenador Rettenmaier.

Agentes de leitura têm papel fundamental 
O lançamento do JornadApp ocorreu durante o segundo encontro do curso de extensão “A leitura multiplicada: a formação do agente de leitura", que prepara os professores voluntários, que serão os responsáveis pela mobilização e pelo planejamento da leitura das obras em cada escola durante as ações da Pré-Jornada e da Pré-Jornadinha. De acordo com a vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF, os agentes de leitura têm papel fundamental no auxílio das tarefas do JornadApp. “A importância de todos vocês para a Jornada é fundamental, especialmente a dos agentes de leitura, que, de forma voluntária, ajudarão nessa aproximação com as escolas em prol da literatura e da leitura”, afirma Bernadete. 

 

Galeria de Vídeos